Empregos

Delação cita escândalo da refinaria de Okinawa

Em delação premiada, senador Delcídio Amaral (ex-PT-MS) afirmou que a compra da Refinaria de Okinawa seguiu o mesmo “modelo” adotado para a unidade americana, ‘gerando propinas para funcionários do alto escalão da Petrobrás’.

O ministro Teori Zavascki, do Supremo Tribunal Federal (STF), mandou para a 13ª Vara Federal, em Curitiba, um dos depoimentos da delação premiada do senador Delcídio Amaral (ex-PT-MS), que trata da Refinaria de Okinawa, no Japão. A unidade foi comprada pela Petrobrás por cerca de US$ 72 milhões, de acordo com o senador, em 2008.
Delcídio relatou à Procuradoria-Geral da República que a compra de Okinawa ‘seguiu o mesmo “modelo” do adotado para a refinaria de Pasadena, gerando propinas para funcionários do alto escalão da Petrobrás’.
O pedido para que a investigação sobre a unidade fosse mandada para a 13ª Vara, do juiz federal Sérgio Moro, que conduz as ações da Lava Jato na 1ª instância, é do vice-procuradora-geral da República Ela Wiecko.
Voltar ao Topo