Notícias

Dados da ANP mostra que arrecadação com royalties do petróleo caiu em 30,8% em maio

Diminuição da demanda por petróleo no mundo e derretimento dos preços internacionais, a arrecadação do país com royalties e participações especiais foi afetada com uma forte queda nos meses recentes.

A queda é um choque adicional para as receitas da União e de governos de estados e municípios produtores em 2020, onde as contas também estão pressionadas pela perspectiva de diminuição do crescimento da economia e gastos adicionais para enfrentar a pandemia do Coronavírus.

O levantamento feito pelo Centro Brasileiro de Infraestrutura (CBIE), a partir dos dados da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), informa que a arrecadação de royalties teve queda de 30,8% em maio, na comparação com abril.

Na comparação anual, a retração foi ainda maior, de 35%.

O último dado disponível referente as participações especiais são do 1º trimestre, quando o valor recolhido para os cofres públicos foi de 23,5% na comparação com o mesmo período do ano passado.

Diante do novo cenário de preço do barril de petróleo e de produção no Brasil, o CBIE estima que a arrecadação com royalties e participações especiais irá cair mais de 20% em 2020.

A consultoria projeta uma arrecadação total no ano de R$ 43,55 bilhões, contra os R$ 55,95 bilhões recolhidos em 2019, Ou seja, R$ 12,4 bilhões a menos.

A ANP avalia que a arrecadação irá diminuir cerca de R$ 11 bilhões neste ano.

A expectativa atual da agência é de um valor total de R$ 45,1 bilhões em 2020.

Voltar ao Topo