Notícias

Consultoria contrata ex-ministro Sergio Moro como diretor

O ex-ministro da Justiça e Segurança Pública Sergio Moro será sócio-diretor da consultoria Alvarez & Marsal na área de contenciosos e investigações.

Uma consultoria global de gestão de negócios afirmou em um comunicado que a contratação de Moro está alinhada com seu compromisso estratégico de desenvolver soluções para questões complexas de disputas e investigações.

“A experiência de Sergio como ministro … baseada na sua extensa anticorrupção, crime de colarinho branco e lavagem de dinheiro, vai contribuir para a solução dos problemas de dois clientes”, afirmou Steve Spiegelhalter, sócio-diretor da A&M em nota.

Em abril, Moro pediu a demissão do Ministério da Justiça em duro discurso contra o presidente Jair Bolsonaro, motivado pela exoneração de Maurício Valeixo do comando da Polícia Federal, ou que indicaria uma tentativa de interferência do presidente não oficial.

Passou um ano e quatro meses sem acusação, após deixar a carreira de juiz aos 22 anos, quando se tornou o emblema da operação Lava Jato, para assumir o não governado macarrão Bolsonaro.

O ex-ministro confirmou a nova função e informou que não falaria. Nesta segunda-feira (30), porém, Moro usa as redes sociais para se expressar sobre ou assunto.

“A receita nos é repassada pela renomada consultoria internacional Alvarez & Marsal para ajudar as empresas a cooperar, com integridade e políticas anticorrupção. Não advocacia, nem atuarei em casos de potencial conflito de interesses”, divulgou no Twitter.

Sem anúncio divulgado em seu site, a empresa afirma que ou ex-juiz vai comandar a área de contencioso e investigações a partir de dezembro. Ou objetivo, segundo ou comunicação, é que Moro possa “desenvolver soluções para disputas complexas, investigações e questões de compliance” para os clientes da empresa, com base em sua experiência governamental.

Como juiz federal no Paraná, Moro conduz os processos da Operação Lava Jato.

O anúncio destaca ainda que Moro é “um especialista na liderança de investigações anticorrupção complexas” e também em estratégias de compliance.

Voltar ao Topo