Economia

Confiança nos serviços do Brasil cai para o nível mais baixo desde junho do ano passado

A queda na confiança do setor de serviços brasileiro acelerou em março para seu nível mais baixo desde junho do ano passado, mostrou uma pesquisa na segunda-feira, enquanto a segunda onda mortal da pandemia COVID-19 escurecia as perspectivas para empresas e consumidores.

O índice de confiança do setor de serviços da Fundação Getulio Vargas (FGV) caiu 5,6 pontos, para 77,6 pontos em março, a terceira queda consecutiva e a menor desde junho 71,7.

O índice permanece bem acima da baixa recorde de abril passado, 51,5, mas, por outro lado, está caindo ainda mais abaixo do nível pré-pandêmico de 94,4 em fevereiro do ano passado.

“O quadro ainda é muito incerto, o que torna difícil vislumbrar uma recuperação nos próximos meses, desde que não haja aceleração do processo de vacinação e melhora nos números da pandemia”, disse o economista da FGV Rodolpho Tobler.

Os serviços respondem por cerca de 70% de toda a atividade econômica do Brasil. A recuperação do setor será crucial para sustentar um crescimento econômico mais amplo.

O índice de expectativas caiu mais do que o índice de condições atuais em março, disse a FGV, sugerindo que não há mudança iminente.

A crise da COVID-19 no Brasil está se aprofundando e o país é hoje o epicentro global da pandemia. A contagem de novos casos chegou a 100.000 no dia da semana passada e o número diário de mortes está agora se aproximando de 4.000.

Voltar ao Topo