Economia

Confiança da indústria brasileira sobe para maior em quase 8 anos, Diz pesquisa

A confiança da indústria brasileira saltou em setembro para o seu nível mais alto em quase oito anos, mostrou uma pesquisa na segunda-feira (21), ressaltando a forte recuperação do setor após o bloqueio do coronavírus e a divergência do lado de serviços da economia.

O índice nacional de confiança da indústria da Fundação Getúlio Vargas em setembro subiu para 105,9 com ajuste sazonal, de 98,7 em agosto, de acordo com dados preliminares, a maior leitura do índice desde janeiro de 2013.

“O aumento da confiança se deve tanto às perspectivas positivas dos negócios para a situação atual quanto ao otimismo para os próximos meses”, disse a FGV.

Como mostra o gráfico da FGV, a confiança recuperou todo o recorde perdido no início deste ano, à medida que a pandemia praticamente paralisou a atividade industrial em todo o país, e ela continuou a crescer.

A utilização da capacidade instalada subiu 2,7 pontos percentuais para 78,0%, mostrou a pesquisa, acima do nível pré-crise de 76,2% em fevereiro e o maior desde março de 2015, disse a FGV.

Apesar da recuperação, a indústria brasileira ainda vive um dos piores anos da história, o banco central espera que a produção industrial este ano encolha 8,5%, embora isso possa ser revisado no Relatório Trimestral de Inflação no final desta semana.

Ao contrário da indústria e da manufatura, o setor de serviços do Brasil, que responde por cerca de 70% de toda a atividade econômica, ainda está se contraindo e cortando empregos, mostram os indicadores e pesquisas mais recentes.

Voltar ao Topo