Petróleo

Conclusão de plataforma gera clima de incertezas no setor naval no RS

A plataforma P-74, encomendada pela Petrobras ao estaleiro EBR em São José do Norte, no Sul do Rio Grande do Sul, foi transferido para São Paulo, na manhã desta sexta-feira (23). Com o fim da obra, começa um momento de incertezas por conta das possibilidade demissões no setor naval, conforme o Sindicato dos Metalúrgicos.

A cidade de 27 mil pessoas já havia se acostumado com a estrutura de 332 metros de comprimento, 58 metros de largura e 50 metros de altura, que desde as 6h30 começou as operações de saída.

Serão 20 dias de viagem até a Bacia de Santos, no Litoral paulista, onde a embarcação deve produzir diariamente 150 mil barris de petróleo e 6,5 milhões e metros cúbicos de gás.

A P-74 foi a primeira plataforma encomendada pela Petrobras junto ao estaleiro, mas não há previsão de novas obras.

Essa foi a quinta plataforma de petróleo construída no Rio Grande do Sul. Em 2013, o setor naval empregava 24 mil trabalhadores no estado. No auge da obra, 3,4 mil funcionários chegaram a atuar na P-74, mas esse número havia sido reduzido para 100 metalúrgicos.

As denúncias de corrupção investigadas pela Operação Lava Jato, e a crise na Petrobras mudaram esse cenário. Os três estaleiros empregam agora 500 funcionários.

Incertezas

“A gente poderia esperar uma festa, mais um empreendimento entregue aí pelos gaúchos, pelo Rio Grande do Sul. Mas a gente vê com muita tristeza essa saída da P-74 pela viabilidade que vem a assolar mais uma vez o desemprego, e a incerteza hoje que a gente não tem expectativa nenhuma de retomada do setor naval, a não ser o sucateamento que a gente tá vendo hoje”, afirma o vice-presidente do Sindicato dos Metalúrgicos, Sadi Machado.

A vinda das obras para o Sul do estado fez com que muita gente enxergasse uma alternativa. Foi o caso do sinaleiro Igor Mackmillan dos Santos, que se qualificou para trabalhar no setor naval, mas agora está entre os 3 mil demitidos na cidade.

“Teve gente que trabalhava com cebola, pescaria, fez a qualificação, e foi para a área portuária. Foi muito bom […] se Deus quiser, vai abrir as portas de novo”, afirma Igor. ( Fonte )

Voltar ao Topo