Energia

Clientes da Copel do Brasil pedem corte de energia em meio a pandemia

A Copel já começou a receber solicitações de clientes, principalmente do setor hoteleiro, para reduzir o fornecimento de energia em meio à desaceleração econômica devido à pandemia de coronavírus.

Essas solicitações estão sendo feitas por clientes no mercado de energia livre, onde os contratos de compra de energia são fechados diretamente com o cliente, disse o CEO da empresa, Daniel Slaviero, durante uma teleconferência na sexta-feira. Até o momento, não há expectativa de que alterações sejam feitas nos contratos no mercado regulado.

“A empresa está estudando cada caso para manter o valor líquido atual dos contratos. Esta é uma crise sem precedentes em nosso país. A Copel tem uma sólida posição de caixa e está monitorando todos os cenários para ter a disciplina necessária para esta situação ”, acrescentou Slaviero.

Slaviero também pediu o adiamento dos leilões de energia A-4 e A-5 para a contratação de fornecimento de energia termelétrica, atualmente prevista para 30 de abril e da qual a Copel planeja participar. A concessionária não espera participar da licitação de transmissão prevista para junho, mas o executivo também acredita que é necessário repensar essa data.

“As condições não existem para continuar as licitações de abril e acredito que o ministério está avaliando isso. É apenas uma questão de tempo até que eles sejam adiados ”, disse ele.

Além disso, o CFO da Copel, Adriano Moura, disse que o ministério da energia e o regulador da eletricidade Aneel precisarão discutir medidas para manter o equilíbrio financeiro e econômico do mercado de energia, ao pedir medidas como proporcionar mais oportunidades de financiamento e reduzir impostos.

“Ainda não sabemos o tamanho desta crise e os impactos que ela terá, mas estamos enfrentando uma combinação explosiva: há uma redução no consumo de eletricidade e uma previsão de mais inadimplência em vários setores que agora interromperam as atividades” Moura explicou.

Enquanto isso, a Copel continua com a execução de seu plano de negócios. A empresa possui um plano de investimento de 2,1 bilhões de reais (US $ 400 milhões) para 2020, dos quais mais de 1 bilhão de reais serão destinados a serviços de distribuição, focados em tecnologia, ganhos de qualidade e eficiência e redução de custos.

A Copel também deve fechar um empréstimo com o banco de desenvolvimento BNDES nas próximas semanas para iniciar a construção de novas linhas de transmissão este ano. Também está concluindo estudos para vender sua subsidiária de comunicações Copel Telecom, um desinvestimento que deve ser concluído antes do final deste ano.

A empresa registrou um lucro líquido de 2 bilhões de reais em 2019, um aumento de 43% em relação ao ano anterior. A receita operacional totalizou R $ 16,2 bilhões, um crescimento de 8,8% em relação a 2018.

Voltar ao Topo