Energia

China e Brasil unem forças para grande impulso em energia renovável

É a primeira usina movida a ondas do oceano na América Latina: um laboratório de céu aberto na costa norte do Brasil. É um projeto piloto que foi testado em 2012 e agora pode gerar eletricidade, assim como uma represa hidrelétrica.

A planta evoluiu e é apenas um exemplo do Brasil e da parceria de tecnologia verde da China. Lucrecia Franco, da CGTN, relata.

Tudo começou em 2009 com a fundação do Centro China-Brasil de Clima e Inovação em Energia. A parceria une dois grandes centros de engenheiros: a COPPE, vinculada à Universidade Federal do Rio de Janeiro, e a Universidade Tsinghua, da China.

Um dos principais objetivos do centro é o intercâmbio acadêmico entre pesquisadores brasileiros e chineses que estudam as mudanças climáticas. Vários estudantes chineses estão no Rio trabalhando em tecnologias de águas profundas.

Até agora, o biodiesel é um dos projetos mais bem sucedidos do centro e já está em produção. Outros projetos, como a energia das ondas do oceano, podem levar algum tempo. Mesmo assim, especialistas do centro acreditam que esses projetos são o futuro da redução de emissões de gases do efeito estufa.

Voltar ao Topo