Naval

China abre 10 portos para troca de tripulação

Dez portos chineses retomarão as operações de mudança de tripulação estrangeira com certos requisitos em vigor, levando em consideração a situação atual do COVID-19.

Os 10 portos incluem Dalian, Tianjin, Qingdao, Xangai, Ningbo, Fuzhou, Xiamen, Guangzhou, Shenzhen e Haikou. 

A mudança foi anunciada por sete grandes instituições chinesas na semana passada, incluindo o Ministério dos Transportes (MOT), disse a BIMCO.

De acordo com um aviso emitido por instituições chinesas, um mecanismo de disjuntor de quarentena será introduzido.

O mecanismo determina que as operações de mudança de tripulação estrangeira de uma empresa de navegação sejam suspensas por 15 dias se houver 5 casos positivos testados detectados em seu agregado de navio, ou suspensa por 30 dias se houver 10 casos positivos testados em seu agregado de navio.

Se mais de 10 casos positivos testados forem encontrados, a empresa de transporte não terá permissão para operar até que eles sejam aprovados em uma nova avaliação conduzida pelas autoridades competentes. 

Espera-se que a decisão traga o alívio tão necessário para a crise humanitária em curso enfrentada pelos marítimos, com mais de 400.000 marítimos presos no mar e mais 400.000 impossibilitados de embarcar em navios em meio às restrições de viagem relacionadas ao COVID-19.

A situação deixou os marítimos em condições terríveis em meio a longos períodos no mar, resultando em desgaste físico e mental.

Os órgãos da indústria vêm pedindo aos governos há meses que designem os marítimos como trabalhadores-chave, a fim de agilizar suas viagens e permitir que tripulações com excesso de trabalho assinem.

No entanto, depois de seis meses de pandemia, os governos nacionais continuam relutantes em fazê-lo, levando a crise a um ponto crítico à medida que surgem preocupações sobre a segurança do transporte marítimo.

Voltar ao Topo