Economia

Chile aprova acordo de livre comércio com o Brasil

Enquanto o Senado aprovou nesta terça-feira (12), um acordo de livre comércio com o Brasil, cimentando o relacionamento de longa data do país andino com seu principal parceiro comercial na América Latina.

O acordo, que se baseia em regras que facilitam o comércio já em vigor entre o Chile e as nações do bloco do Mercosul, Brasil, Argentina, Paraguai e Uruguai, deve impulsionar o comércio entre as duas nações.

O Chile embarcou mais de US $ 3 bilhões em mercadorias para o Brasil em 2019, representando quase 30% de suas exportações totais para a América Latina, mostram dados do Ministério das Relações Exteriores do Chile.

“Hoje, mais do que nunca, é essencial fortalecer nossas alianças comerciais para impulsionar a recuperação econômica”, disse o ministro das Relações Exteriores do Chile, Andrés Allamand, após a aprovação do acordo.

Tanto o Chile quanto o Brasil foram particularmente afetados pelo surto de coronavírus, com péssimas perspectivas econômicas pesando sobre seu futuro, o acordo ajudará a regular e impulsionar o comércio em várias áreas importantes, disse o ministério.

O Chile fornece ao Brasil produtos como cátodos de cobre, salmão e vinho, enquanto o Brasil embarca para o Chile carne, carrocerias e produtos manufaturados de ferro e aço, sendo o maior produtor mundial de cobre, há muito acolhe o comércio livre e aberto. O país assinou 30 acordos comerciais com 65 mercados globais, informou o Itamaraty.

Voltar ao Topo