Petróleo

Chevron, Shell, Total entre potenciais licitantes no leilão de petróleo no Brasil

O Brasil deve vender os direitos de exploração e produção em dezenas de blocos offshore de produção de petróleo na quinta-feira, em um leilão que é pequeno para os padrões locais, mas oferecerá oportunidades para as majors abocanharem potencialmente prolíficas ativos.

No total, são 92 blocos em disputa em quatro zonas marítimas conhecidas como bacias, espalhadas por todo o Brasil. Os lances mínimos para todos os blocos combinados chegam a cerca de 558 milhões de reais (US $ 102 milhões). Embora seja provável que alguns blocos receberão mais do que o lance mínimo, muitos blocos provavelmente não receberão nenhum lance.

Os blocos mais promissores, segundo várias fontes do mercado, podem fazer parte de uma geologia produtiva chamada pré-sal, uma área na costa sudeste do Brasil onde bilhões de barris de petróleo estão presos sob uma camada de sal no fundo do oceano. Em particular, os olhos estarão nos blocos SM-1378, SM-1613 e SM-1617, que têm um bônus de assinatura mínimo combinado de cerca de 270 milhões de reais.

Mas se eles de fato fazem parte do pré-sal está longe de ser provado.

Além disso, muitos dos blocos estão em áreas pouco exploradas ou perto de reservas marítimas ecologicamente sensíveis, incluindo o arquipélago de Fernando de Noronha e o arquipélago de Abrolhos.

Espera-se que poucos ou nenhum desses blocos obtenham licitações, devido à pressão de grupos ambientais e à dificuldade potencial de obtenção de licenças ambientais, caso alguma dessas áreas se mostre comercialmente viável.

O Brasil deve vender os direitos de exploração e produção em dezenas de blocos offshore de produção de petróleo na quinta-feira, em um leilão que é pequeno para os padrões locais, mas oferecerá oportunidades para as majors abocanharem potencialmente prolíficas ativos.

No total, são 92 blocos em disputa em quatro zonas marítimas conhecidas como bacias, espalhadas por todo o Brasil. Os lances mínimos para todos os blocos combinados chegam a cerca de 558 milhões de reais (US $ 102 milhões). Embora seja provável que alguns blocos receberão mais do que o lance mínimo, muitos blocos provavelmente não receberão nenhum lance.

Os blocos mais promissores, segundo várias fontes do mercado, podem fazer parte de uma geologia produtiva chamada pré-sal, uma área na costa sudeste do Brasil onde bilhões de barris de petróleo estão presos sob uma camada de sal no fundo do oceano. Em particular, os olhos estarão nos blocos SM-1378, SM-1613 e SM-1617, que têm um bônus de assinatura mínimo combinado de cerca de 270 milhões de reais.

Mas se eles de fato fazem parte do pré-sal está longe de ser provado.

Além disso, muitos dos blocos estão em áreas pouco exploradas ou perto de reservas marítimas ecologicamente sensíveis, incluindo o arquipélago de Fernando de Noronha e o arquipélago de Abrolhos.

Espera-se que poucos ou nenhum desses blocos obtenham licitações, devido à pressão de grupos ambientais e à dificuldade potencial de obtenção de licenças ambientais, caso alguma dessas áreas se mostre comercialmente viável.

Voltar ao Topo