Notícias

CEO da Petrobras é demitido por Bolsonaro em menos de 2 meses no cargo

José Mauro Coelho, que se tornou CEO da Petrobras em 13 de abril, foi demitido pelo presidente Jair Bolsonaro. Caio Mario Paes de Andrade, secretário especial de Desburocratização, Gestão e Governo Digital do Ministério da Economia, foi nomeado para substituir Coelho.

A Petrobras informou em comunicado que recebeu ofício do Ministério de Minas e Energia, “solicitando providências para convocação de Assembleia Geral Extraordinária, com o objetivo de promover a destituição e eleição de membro do Conselho de Administração, e nomear Caio Mario Paes de Andrade, no lugar de José Mauro Ferreira Coelho.”

A empresa disse ainda: “Tendo em conta que o Sr. José Mauro Ferreira Coelho foi eleito pelo sistema de voto múltiplo na Assembleia Geral Ordinária realizada em 13/04/2022, se aprovado em assembleia geral, a sua destituição implicará a destituição dos demais membros do Conselho eleitos pelo mesmo processo, devendo a empresa proceder a nova eleição para esses cargos, nos termos do artigo 141, § 3º, da Lei 6.404/76.

Segundo a Reuters , a Petrobras disse ao governo na semana passada que vender diesel com desconto agora levaria a desabastecimento no final do ano, quando está em alta demanda durante a safra. Ele alertou que a escassez de diesel é atualmente um problema global como resultado da guerra na Ucrânia.

A política de preços de mercado de combustíveis da Petrobras (apoiada por estatutos que a impedem de vender combustível com prejuízo) tem sido a razão declarada de Bolsonaro para sucessivas demissões de CEOs nos últimos anos, embora ele tenha indicado repetidamente CEOs que anteriormente endossaram os preços de mercado. A empresa teria sugerido outras maneiras de o governo ajudar os consumidores brasileiros com os custos do combustível, por exemplo, cortando impostos ou subsidiando os custos do combustível.

Voltar ao Topo