Benefícios

Calendário do Bolsa Família 2020 de acordo o NIS é liberado

O Programa Bolsa Família é um dos programas sociais brasileiros mais conhecido pela população.
Atendendo mais de 13 milhões de brasileiros no país inteiro é um programa criado pelo ex-presidente Lula e está ativo há mais de 13 anos.

Mesmo com tanto tempo de atuação há muitos brasileiros que ainda não conhecem de fato o programa.
Se você quer saber como funciona esse programa social, quem tem direito e onde se cadastrar no Bolsa Família é só continuar acompanhando!

QUAL O OBJETIVO DO BOLSA FAMÍLIA?

O objetivo do Bolsa Família é auxiliar financeira as famílias brasileiras mais carentes, que se encontram em pobreza ou extrema pobreza.
Por meio desse auxílio o programa espera garantir a inclusão dessas famílias na sociedade.
Provendo o acesso a educação, saúde e lazer, mesmo não tendo ótimas condições financeiras.
Para essas famílias, há diversos programas de inclusão social para que estes possam participar e contribuir como sociedade.

QUEM TEM DIREITO AO BOLSA FAMÍLA?

A classificação de pobreza e extrema pobreza foi decidida pelo próprio governo.
Para o governo uma família com renda mensal, por pessoa, de no máximo R$89,00 vive em estado de extrema pobreza.

Já as famílias com renda mensal, por pessoa, de no máximo R$178,00 vivem em estado de pobreza.
Essa especificação de renda mensal é o primeiro requisito para participar do Bolsa Família.
Tendo ciência do requisito mínimo de participação, basta seguir os demais requisitos para garantir participação ao programa.

Estar cadastrado no CadÚnico
Famílias pobres só podem participar do programa se tiverem crianças, adolescentes ou gestantes em sua composição
Cadastro atualizado no Cadastro Único

Infelizmente não é garantido de início que sua família fará parte dos beneficiários do programa.
“O Bolsa Família tem uma disponibilidade orçamentária e um limite de famílias para atender, de acordo com a estimativa de pobreza de cada município. Com base nisso e no perfil das famílias, selecionamos as que poderão ingressar no programa. A entrada não é automática”, declarou a diretora do Departamento de Benefícios do Ministério do Desenvolvimento Social.

COMO POSSO ME CADASTRAR NO PROGRAMA SOCIAL?

Para se cadastrar no programa é preciso que um responsável pela família de no mínimo 16 anos de idade, compareça ao CRAS do município solicitando o benefício.

Se não localizar o CRAS em sua cidade, é possível fazer o cadastro também no município.
Antes de se dirigir ao órgão público é preciso ter em mãos os seguintes documentos:

Certidão de Nascimento;
Carteira de identidade; Cadastro de Pessoa Física (CPF);
Carteira de Trabalho;
Título de eleitor;
Comprovante de residência.

Para cada integrante residente da família é necessário apresentação de um documento com foto.
Para famílias quilombolas é possível apresentar alguns dos documentos abaixo, não tendo nenhum como obrigatoriedade.

Certidão de nascimento ou casamento
RG
Carteira de Trabalho
CPF
Título de Eleitor

Famílias indígenas podem apresentar um dos documentos abaixo, também não tendo nenhum documento obrigatório.

CPF
RG
Título de eleitor
RANI – Registro Administrativo de Nascimento Indígena
Certidão de nascimento ou casamento
Carteira de Trabalho

Após ter todos esses documentos em mãos é só se informar quanto a localização do CRAS ou prefeitura municipal e solicitar o cadastro no programa.
O cartão do bolsa família estará no nome do responsável que fizer o cadastro da família e a preferência é que o responsável seja uma mulher.

O QUE É O NOVO BOLSA FAMÍLIA?

Durante o período de pandemia muitas coisas mudaram, não só em nossas vidas, mas também na economia e administração do país.
Uma dessas mudanças é a apresentação de um novo programa social que substituirá o Bolsa Família, o Renda Brasil.
O objetivo do Renda Brasil é o mesmo que do Bolsa Família, mas um pouco mais.
Serão atingidos 8 milhões a mais de brasileiros, totalizando 21 milhões de cidadãos que serão beneficiados pelo novo programa.
Atualmente o bolsa família está suspenso, sendo substituído pelo Auxílio Emergencial. Após o encerramento do Auxílio atual, não haverá mais Bolsa Família.
A ideia do atual presidente Jair Bolsonaro é que até dezembro o Auxílio Emergencial esteja ativo e em janeiro de 2021 os brasileiros tenham acesso ao Renda Brasil.
Sendo assim, seriam extintos o Bolsa Família e o Auxílio Emergencial que dariam espaço para o novo e definitivo programa social.
Ainda não há uma apresentação, de fato, formal sobre o Renda Brasil. Todas as informações foram dadas aos poucos para que saibamos que o governo está estudando formas de auxiliar as famílias brasileiras carentes.

CONCLUSÃO

Caso você queira solicitar o Bolsa Família, por enquanto, basta solicitar o Auxílio Emergencial. Todos os cidadãos que atenderem os requisitos do Bolsa Família automaticamente possuem direito ao Auxílio Emergencial.
Para solicitar sua participação no Auxílio é só instalar o aplicativo “Auxílio Emergencial” em seu celular e seguir as instruções do aplicativo. No próprio aplicativo é divulgado a aprovação ou reprovação do pedido.

VEJA O CALENDÁRIO DO BOLSA FAMÍLIA 2020 E SAIBA MAIS DETALHES

O Bolsa Família faz parte de um dos programas sociais disponibilizados pelo governo federal, atingindo mais de 13 milhões de brasileiros. Devido a pandemia todos os setores financeiros e econômicos passaram por mudanças nestes 5 meses de isolamento social, incluindo o bolsa família.

No cenário atual, quem recebe o bolsa família está sendo contemplado também com o auxílio emergencial, tendo previsão para o fim da pandemia um novo programa social, o Renda Brasil.
Se você é beneficiário antigo ou novo do Programa Bolsa Família e quer mais informações acerca do benefício, bem como, visualizar o calendário 2020, continue acompanhando!

COMO FUNCIONA O BOLSA FAMÍLIA?

Para ser cadastrado no Bolsa Família o cidadão deve estar em situação de pobreza ou extrema pobreza, sendo que, há ainda requisitos a serem atingidos para efetiva participação do programa.
É necessária uma renda mensal, por pessoa, entre R$89,00 e R$178,00 para que seja classificado como cidadão em estado de pobreza ou extrema pobreza.
A intenção do governo é combater a fome e auxiliar com saúde e educação, promovendo a inclusão social dos cidadãos de classe baixa.
Dentro do Bolsa Família há diferenciação de auxílio para cada tipo de família, sendo que há 5 categorias para concessão de benefícios: Benefício Básico, Benefício Variável, Benefício Variável Jovem, Benefício para Superação da Extrema Pobreza e Abono Natalino.
Cada categoria se refere a tipos específicos de famílias, sendo separados por gestantes, jovens, crianças e cálculo de renda.
Após ser cadastrado no programa o beneficiário receberá mensalmente um valor do governo, como forma de auxílio.
O valor varia para cada família, sendo o valor mínimo de R$89,00 e o valor máximo de R$205,00.
O saque do valor pode ser feito somente em lotéricas ou caixa eletrônico da Caixa em até 90 dias após a data do pagamento.
Há opção de saque também pela Poupança Caixa Fácil, sendo que com a conta não é necessário deslocamento até lotéricas ou caixas eletrônicos, pois é feita a transferência automática do benefício para a poupança.
Vale informar que a Poupança Caixa Fácil não pode ser convertida para Poupança Comum, pois o benefício do Bolsa Família deixará de ser creditado na conta e retornará para o cartão oficial do programa.

COMO FUNCIONA O CALENDÁRIO DO BOLSA FAMÍLIA

Por ser um programa que atinge famílias de toda a nação brasileira, o bolsa família possui um calendário próprio para distribuição do benefício.
A data do recebimento é definida com base no último dígito do NIS do beneficiário, veja abaixo o calendário do bolsa família:

O calendário apresentado foi disponibilizado pelo governo federal e pode ser encontrado em todas as lotéricas e agências Caixa.
Como foi demonstrado na imagem, basta verificar no cartão do bolsa família o último dígito do NIS e localizá-lo no calendário, após isso é só identificar o mês atual e a data de pagamento.
Como já foi dito antes, o beneficiário tem até 90 dias para retirar o benefício.

POSSO CADASTRAR MINHA FAMÍLIA NO BOLSA FAMÍLIA?

Se sua família já atende o requisito mínimo de renda mensal entre R$89,00 e R$178,00 por pessoa, basta verificar os demais requisitos abaixo para efetivação de cadastro no programa:

⦁ Famílias com gestante, crianças ou adolescentes de até 17 anos
⦁ Famílias inscritas no Cadastro Único
⦁ Famílias já cadastradas no CadÚnico, mas com dados atualizados dento de 2 anos

No bolsa família há também alguns requisitos de permanência no programa, sendo que, o não cumprimento pode implicar na suspensão do auxílio. Veja abaixo os requisitos:

⦁ Famílias com gestantes devem obrigatoriamente participar de consultas pré-natal, devendo seguir um calendário próprio do Ministério da Saúde
⦁ Mães que estiverem amamentando devem comparecer às aulas de aleitamento materno e alimentação saudável, fornecidas pelo Ministério da Saúde
⦁ Famílias com crianças de 0 a 7 anos devem manter a carteira de vacinação em dia
⦁ Famílias com crianças e adolescentes de 6 a 15 anos devem ter frequência escolar mínima de 85%
⦁ Famílias com adolescentes de 16 a 17 anos devem ter frequência escolar mínima de 75%
⦁ Famílias com mulheres entre 14 e 44 anos devem fazer acompanhamento de saúde.

CONCLUSÃO

O Programa Social Bolsa Família tem por objetivo auxiliar famílias realmente carentes, então se sua situação financeira melhorar o seu direito ao benefício será revogado.
O programa exige a atualização cadastral no Cadastro Único e mesmo que nada nos dados de cadastro seja alterado, é obrigatório o comparecimento ao posto para atualização cadastral.
A não atualização cadastral também interfere no recebimento do auxílio, de tal modo que o benefício pode ser suspenso e até cancelado.

 

Voltar ao Topo