Offshore

BW Energy desenvolverá campo de Maromba, offshore no Brasil em duas fases

A BW Energy decidiu avançar com o projeto de desenvolvimento da Maromba em águas brasileiras de forma faseada através da perfuração de seis poços produtores.

Os poços serão vinculados a um armazenamento e descarga de produção flutuante (FPSO) reimplantado. O primeiro óleo do projeto até a fase 1 está previsto para 2025.

O plano de desenvolvimento da empresa foi aprovado pelo regulador brasileiro de petróleo e gás ANP e a aprovação ambiental total do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis ​​(IBAMA) deverá ser obtida oportunamente.

A BW Energy assinou um acordo para adquirir o FPSO Polvo da BW Offshore por US$ 50 milhões para usar a embarcação no projeto Maromba.

O FPSO Polvo será atualizado e reimplantado no campo offshore brasileiro, localizado na parte sul da Bacia de Campos. Ele será projetado para até 10 poços produtores com capacidade de armazenamento de 1,2 milhão de barris.

A capacidade total de líquido do FPSO será de 85.000 barris por dia. Sua capacidade de produção de petróleo será de 65.000 barris por dia, enquanto a capacidade de tratamento de água deverá ser de 75.000 barris por dia.

O campo de Maromba foi adquirido pela BW Energy em 2019 por US$ 115 milhões da Petrobras e da Chevron.

A decisão de investimento no projeto de desenvolvimento da Maromba estará sujeita a algumas condições anteriores, como a conclusão do financiamento do projeto, disse a BW Energy.

Segundo a empresa, a primeira fase contemplará a perfuração de três poços. Isso será seguido por uma segunda campanha de perfuração com três poços adicionais em 2027.

Com base em estimativas preliminares, o desenvolvimento da fase 1 pode envolver um investimento de quase US$ 400 milhões.

O CEO da BW Energy, Carl Arnet, disse: “Trabalhamos para otimizar o plano de desenvolvimento da Maromba desde a aquisição em 2019 e durante a pandemia de Covid-19. Isso inclui avaliações técnicas, análise de espectro completo de dados geológicos, sísmicos e de poços, bem como extensa modelagem e simulações de reservatórios.

“Com base em nossas descobertas, decidimos prosseguir com um desenvolvimento com seis poços de produção horizontais conectados a um FPSO para liberar uma produção significativa de petróleo e geração de valor de longo prazo para nossos stakeholders.”

A BW Energy disse que o desenvolvimento do campo de Maromba em etapas permitirá um melhor monitoramento do reservatório e otimização do segundo programa de perfuração.

A empresa espera que o pico de produção de petróleo do campo esteja na faixa de 30.000 a 40.000 barris por dia.

Após avaliação técnica da empresa, foi determinado que a injeção de água não é necessária para os três primeiros poços. No entanto, é uma contingência para a perfuração dos três poços restantes, disse a BW Energy.

Voltar ao Topo