Economia

Brasil vê maior desemprego em fevereiro em pelo menos uma década

O desemprego no Brasil aumentou nos três meses até fevereiro, informou a agência de estatísticas IBGE nesta sexta-feira, à medida que a atividade econômica sem brilho e os efeitos da pandemia coronavírus pararam a criação de empregos.

O número de desempregados na maior economia da América Latina subiu para 14,4 milhões, o maior desde que os registros começaram em 2012, segundo o IBGE.

A taxa de desemprego foi de 14,4% nos três meses encerrados em 28 de fevereiro, um aumento de 2,7 pontos percentuais em relação ao mesmo período de três meses do ano anterior, quando era de 11,6%, disse.

Cerca de 85,9 milhões de brasileiros trabalharam em fevereiro, informou o IBGE, estável em relação ao triênio anterior, embora ainda tenham caído 8,3% ou 7,8 milhões de pessoas em relação ao mesmo período do ano anterior.

“Já é possível notar a pressão do mercado de trabalho com 14,4 milhões de pessoas procurando emprego”, disse Adriana Beringuy, analista do IBGE. “Não houve criação significativa de empregos no trimestre.”

Como a atividade econômica não consegue retomar, alguns setores são capazes de manter os trabalhadores, enquanto outros estão cortando empregos, disse ela, citando como exemplo os serviços e certos segmentos industriais.

Voltar ao Topo