Petróleo

Brasil quer se tornar um dos 5 maiores produtores de petróleo

Eua petróleo

Em pouco mais de uma década, maior economia da América Latina, o Brasil tornou-se um dos principais produtores mundiais de petróleo. No final de 2020, o Brasil não apenas bombeava mais petróleo da América Latina, uma média de 3,03 milhões de barris diários, como terminava na posição de sétimo maior produtor mundial, atrás do Iraque, membro da Opep, e à frente dos Emirados Árabes Unidos.

Segundo o ministro de Minas e Energia do Brasil, Bento Albuquerque, o maior produtor de petróleo da América Latina se tornará o quinto maior do mundoexportador de petróleo até o final desta década. O governo brasileiro está prevendo que o país estará bombeando 5,3 milhões de barris de petróleo por dia até 2030, facilitando sua capacidade de aumentar substancialmente as exportações.

Isso se compara a uma média de 3,05 milhões de barris de petróleo bruto e produção de condensado por dia em julho de 2021 e uma média de 2,94 milhões nos primeiros sete meses de 2021. Isso indica que ainda há um trabalho considerável a ser concluído se o Brasil quiser atingir uma meta tão ambiciosa.

Apesar das brigas, no início deste ano desencadeado pela demissão do presidente Bolsonaro deO presidente da Petrobras, Roberto Castello Branco, que foi substituído pelo ex-ministro da Defesa Joaquim Silva e Luna, a produção continua crescendo. Mesmo as consequências consideráveis ​​da pandemia COVID-19 pouco contribuíram para conter o monumental boom de petróleo offshore do Brasil.

Dados da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis mostram que em julho de 2021 o país estava bombeando em média 3,9 milhões de barris de óleo equivalente por dia, um aumento de 4% mês a mês e 0,6% a mais que no ano anterior. São os prolíficos campos de petróleo do pré-sal offshore do Brasil que estão impulsionando o crescimento da produção do país. Durante julho de 2021, a produção de petróleo do pré-sal saltou 3,7% em relação ao mês anterior e 4,1% ano a ano, para 2,8 milhões de barris por dia.

É o gigantesco campo petrolífero de Tupi, que desde o início da produção em 2010 bombeou mais de 2 bilhões de barris de petróleo bruto e é o maior campo produtor do Brasil, bombeando 916.826 barris de petróleo por dia durante julho de 2021. Isso é seguido pelo campo petrolífero de Búzios com 210.000 acres, que no mesmo período bombeou 569.648 barris de petróleo bruto, tornando-se o segundo maior campo do Brasil.

Búzios, o maior campo petrolífero offshore de águas profundas do mundo, com capacidade para bombear 600.000 barris diários de 4 FPSOs e uma rede de 45 poços concluídos, é o motor do crescimento planejado da produção de petróleo bruto do Brasil. Petrobras planeja investir US $ 17 bilhõesno campo de águas profundas entre 2021 e 2025, que verá 8 FPSOs adicionados em menos de uma década, elevando a capacidade de produção para pelo menos 2 milhões de barris por dia. Isso significa que o campo offshore supergigante estará produzindo até 1,4 milhão de barris adicionais por dia até 2030 ou cerca de 61% da produção adicional planejada de 2,3 milhões de barris por dia até o final da década.

O petróleo bruto de Búzios tem uma densidade API de cerca de 28 graus e 0,32% de teor de enxofre, que são características semelhantes à variedade do óleo de Lula do Brasil, que é extremamente popular na China. Como Lula, Búzios é um óleo cru com baixo teor de enxofre e metais que, com um ponto de fluidez em torno de 9 graus, indica que é relativamente baixo em parafina.

Essas características tornam não apenas mais barato e mais fácil refinar em combustíveis de baixa emissão de alta qualidade do que as variedades ácidas mais pesadas de petróleo bruto, mas também adequado para mistura com classes de qualidade inferior para produzir matéria-prima de alta qualidade para refino. É por isso que Búzios se tornoualtamente popularentre as refinarias asiáticas durante 2020, conforme a demanda por petróleo bruto doce de alta qualidade leve e médio disparou após a introdução do IMO2020 no ano passado.

China é hoje um mercado-chave para o petróleo brasileiro com o volume de importações do maior produtor de petróleo da América Latinavoando altodurante 2020, tornando-se o terceiro maior fornecedor de petróleo bruto para a segunda maior economia do mundo.

O volume de petróleo que a China está importando do Brasil, no entanto, caiu constantemente desde o início de 2021, com o maior produtor de petróleo da América Latina vendo os carregamentos de petróleo para a China em julho despencarem 47% em comparação com o ano anterior. Isso fez com que o Brasil deixasse de ser a terceira maior fonte de importações de petróleo bruto da China para o quinto lugar, atrás de Angola, em quarto, o Iraque, em terceiro, e a Rússia e então a Arábia Saudita em segundo e primeiro lugar, respectivamente.

No entanto, é uma China com fome de energia que continuará sendo o principal consumidor do petróleo bruto brasileiro. Espera-se que a segunda maior economia do mundo passe à frente dos EUA durante 2021 para se tornar omaior refinadorglobalmente. Isso, juntamente com um crescimento econômico de retorno à medida que os impactos da pandemia diminuem , levará a um maior consumo de combustíveis.

A demanda por petróleo bruto de alta qualidade com baixo teor de enxofre e metais está crescendo a um ritmo sólido, principalmente devido às regulamentações de emissões cada vez mais rígidas e ao fato de ser mais fácil e mais barato refinar. Isso é ainda reforçado pelo fato de a Ásia ser um importante centro de embarque global com Cingapura, o porto de abastecimento de combustível número um do mundo em volume, e Hong Kong o quarto maior.

A produção de combustíveis marítimos da China está se expandindo rapidamente, fazendo com que a demanda por tipos de petróleo bruto IMO 2020 mais doces e com baixo teor de contaminantes disparem. Por essas razões, a demanda por petróleo bruto doce de alta qualidade continua forte na Ásia. Na verdade, de acordo com analistas da indústria de energia, as refinarias da China são supostamentepagando prêmios sobre certas importações de petróleo bruto para garantir o abastecimento de novembro de 2021, agora que as restrições à pandemia estão diminuindo.

Esses eventos garantirão que a demanda por variedades de óleo cru de Lula e Búzios continue se expandindo, especialmente à medida que o crescimento econômico da China e a atividade de refino aumentem. A forte perspectiva de demanda, juntamente com os baixos preços de equilíbrio dos prolíficos campos de petróleo do pré-sal, estimados em uma média abaixo de US $ 35 por barril, e os teores de petróleo bruto de alta qualidade estão atraindo fluxos de investimentos sólidos de grandes empresas de energia estrangeiras. Esses, juntamente com o investimento planejado de US $ 17 bilhões da Petrobras no campo de Búzios, apoiarão a previsão de crescimento da produção do Brasil, permitindo que a maior economia da América Latina se torne o quinto exportador de petróleo do mundo.

Voltar ao Topo