Notícias

O Brasil reduz a projeção do açúcar em quase 10%

açucar1

O governo brasileiro reduziu na terça-feira em quase 10% sua projeção para a produção de açúcar desta safra na região centro-sul (CS) para 30,7 milhões de toneladas após avaliação do impacto da seca e geadas nas lavouras .

Um relatório da agência de estatísticas agrícolas do governo, Conab, disse que a safra de cana-de-açúcar CS agora está em 520 milhões de toneladas, ante 538 milhões de toneladas em agosto. A produção de etanol a partir da cana-de-açúcar na região foi projetada em 23,1 bilhões de litros contra 23,7 bilhões de litros registrados em agosto.

Além das perdas para a produção de cana devido ao mau tempo, o governo brasileiro disse que a safra continua perdendo área para fazer safras mais lucrativas, como soja e milho, que são plantadas pelos agricultores em rotação.

A Conab disse que a área canavieira no Brasil caiu 4,1% em 2021/22 para 8,2 milhões de hectares. Os rendimentos agrícolas da cana-de-açúcar caíram 9,5% nesta temporada devido à seca e geadas, disse o relatório.

“Mesmo em um momento em que os preços são atraentes para a indústria açucareira, a área canavieira está caindo”, afirmou a agência no relatório.

A produção de etanol à base de milho no centro-sul do Brasil 2021/22 foi estimada em 3,47 bilhões de litros, ante 3,36 bilhões de litros em agosto, à medida que as fábricas conseguiram garantir o fornecimento de milho, apesar da baixa disponibilidade, e continuaram a expandir a produção.

A produção de etanol de milho aumentou 15% em relação à safra anterior, disse a Conab, acrescentando que o cereal deve expandir sua participação no setor energético brasileiro à medida que mais fábricas entram em operação e a produção de milho deve crescer nas próximas safras.

Voltar ao Topo