Óleo e Gás

Brasil pode ver US $ 4,5 bilhões em investimentos descomunal

A Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) divulgou a Resolução 817/2020 em 27 de abril, que trata do descomissionamento das instalações de exploração e produção de petróleo e gás, o procedimento para devolução de áreas à ANP e a venda e reversão de ativos. A agência chamou isso de um marco para sua indústria de petróleo, pois os procedimentos atualizados oferecerão oportunidades para novos negócios e maiores investimentos no país.

Somente no descomissionamento, a previsão é de que o novo padrão resulte em pelo menos US $ 4,5 bilhões em investimentos nos próximos cinco anos. Os recursos serão investidos na contratação de serviços para limpeza e abandono de poços, remoção de equipamentos e recuperação de áreas, segundo a agência.

A resolução pode ser aplicada a instalações com desativação programada para os próximos anos e que, eventualmente, precisam ser desativadas no início deste ano devido aos declínios na produção associados à pandemia de coronavírus.

De acordo com a resolução, a ANP pode incluir campos em terra que estão em processo de devolução e que aprovaram planos de descomissionamento, iniciando-se 24 meses antes da data programada para o final da produção, para que haja uma transição de operadores sem interrupção da produção.

A simplificação das regras para a transferência de campos de uma empresa para outra prolonga a vida útil dos campos e expande seu fator de recuperação, gerando empregos, renda e aumento de royalties, informou a ANP em comunicado.

A resolução é resultado de um esforço conjunto entre a ANP, o Ibama e a Marinha do Brasil, que unificou seus procedimentos; em vez de entregar documentos diferentes para cada agência, as empresas agora entregam um único plano de desativação de instalações.

Voltar ao Topo