Petróleo

Brasil mantém mistura de biodiesel em 10% para julho e agosto

O Ministério de Minas e Energia do Brasil mantém seu mandato de 10% de biodiesel misturado ao diesel para julho e agosto, aumentando a frustração entre os produtores que apostam na retomada da mistura de 13%. Em nota, o ministério brasileiro disse que tomou a decisão tendo em vista os interesses dos consumidores.

Em abril, os altos preços do biodiesel durante um leilão para garantir a oferta para maio e junho levaram o governo a cortar o mandato para 10%, de 13% inicialmente, em meio a temores de impactos sobre a inflação ou até mesmo uma greve de caminhoneiros.

Os produtores de biodiesel esperavam um retorno à mistura de 13% em julho e agosto, cujo leilão público deve ocorrer no início de junho. Em nota, a associação brasileira de odeiras Abiove classificou o movimento do governo como uma intervenção no mercado, enquanto a associação brasileira de produtores de biocombustíveis, ou Aprobio, disse que a decisão levantou incertezas.

Mantendo a mistura de 10% para julho e agosto segue um aumento nos preços do óleo de soja, principal matéria-prima utilizada para a produção de biodiesel. Este ano, até 12 de maio, o preço do óleo de soja brasileiro FOB Paranagua aumentou 30%, para acima de US$ 1.300/mt, segundo a S&P Global Platts.

Os participantes do mercado dizem que a oferta de óleo de soja para as exportações provavelmente aumentará em meio a uma menor demanda por fins de biodiesel. Em abril, os embarques de óleo de soja no exterior do Brasil totalizaram quase 300 mil mt, um aumento de 115% em relação ao ano anterior.

Voltar ao Topo