Óleo e Gás

Brasil interrompe seu boom de petróleo e gás

A ANP, reguladora do setor de energia do Brasil, anunciou que suspenderia todas as licitações de petróleo e gás programadas para este ano em meio à crescente incerteza econômica causada pela disseminação global do novo coronavírus.

A Reuters relata que a decisão foi tomada pelo Ministério de Minas e Energia do país, que antes decidiu interromper todos os procedimentos de pré-licitação – incluindo redação de documentos e contratos – por causa da situação econômica. O momento das propostas avançará quando a incerteza diminuir.

Em janeiro deste ano, a Petrobras se gabou de ter, pela primeira vez em sua história, produzido mais de um bilhão de barris de petróleo em 2019. E tinha planos para mais depois de resolver sua disputa com o governo sobre a chamada transferência área de direitos na zona offshore do pré-sal que pode conter até 15 bilhões de barris.

Agora, com a demanda por petróleo esmagada pela pandemia de coronavírus e a oferta excessiva que ainda está crescendo, os aumentos de produção estão sendo impedidos nas regiões petrolíferas do mundo. 

No início deste mês, o chefe da Agência Internacional de Energia, Fatih Birol, alertou que a demanda por petróleo poderia cair 20 milhões de bpd por causa da pandemia. Essa foi a mesma figura que o diretor executivo da Vitol deu à Bloomberg em resposta a uma pergunta sobre a quantidade de demanda de petróleo que poderia cair devido ao surto. 

Relacionados: Petróleo atinge US $ 20 pela primeira vez em 18 anos

A IHS Markit disse no mês passado que o mundo estava em declínio mais significativo na demanda de petróleo na história do petróleo. Agora, a empresa de pesquisa de mercado alertou que a oferta precisaria cair até 10 milhões de bpd para que ocorra qualquer semelhança de um reequilíbrio do mercado.

“Se não houver acordo internacional para reduzir a produção de petróleo, forças brutais e não adulteradas do mercado trarão equilíbrio ao mercado de petróleo. As leis de oferta e demanda são ferozes em condições extremas ”, disse Jim Burkhard, diretor de mercados de petróleo da IHS, à World Oil.

Não é à toa que a Petrobras reduziu sua produção em 200.000 bpd no início deste ano em resposta ao choque de demanda. Uma suspensão temporária de propostas de petróleo e gás é o próximo passo lógico nos esforços de controle de danos.

Voltar ao Topo