Óleo e Gás

Brasil limita preço do gás natural para leilão de energia em outubro

GÁS NATURAL

A agência reguladora de energia brasileira aprovou hoje um teto de preço do gás natural de R1.619 / MWh ($ 298,69 / MWh) para seu leilão de energia de emergência em outubro, estabelecendo um limite máximo de custo-benefício que as usinas poderão oferecer para participar da licitação.

Os leilões irão contratar usinas de acordo com um índice de custo benefício (ICB), partindo das usinas de menor custo e avançando para as de maior custo.O teto de preço é maior do que em leilões anteriores por causa das restrições de geração de energia no Brasil causadas por uma longa seca, levando ao despacho das usinas termelétricas mais caras.

No último leilão de energia, em 30 de setembro, o preço-teto da energia térmica era de R639 / MWh para a energia gerada a partir de resíduos.

O próximo leilão visa a contratação de termelétricas “mercantes”, ou seja, aquelas que não possuem contratos preexistentes e vendem energia exclusivamente no mercado de curto prazo, conforme fonte do mercado, ainda que seus preços de combustível estejam acima do teto permitido.

Embora o limite de preço para o leilão esteja abaixo dos custos atuais para usinas termoelétricas no sistema elétrico brasileiro – o custo máximo para uma usina movida a gás é de R $ 1.831,81 / MWh esta semana de acordo com o Operador do Sistema Elétrico – participantes do mercado acreditam os preços do gás cairão durante o inverno do hemisfério norte, com uma queda substancial a partir de abril próximo.

A licitação para capacidade de geração de eletricidade foi anunciada em meio a preocupações crescentes sobre os efeitos da seca recorde. Ela oferecerá contratos que vão de maio de 2022 a 31 de dezembro de 2025.

O leilão vai oferecer dois tipos de contratos: um para termelétricas a gás natural, óleo combustível e diesel e outro para projetos de biomassa, eólica e solar.

Voltar ao Topo