Energia

Brasil aloca 269,3 MW de energia solar em dois leilões de energia

Na semana passada, a agência reguladora de energia do Brasil, a Aneel, e a Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE) realizaram os leilões de energia nova A-3/2021 e A-4/2021, os primeiros do gênero organizados desde o início do Pandemia do covid19.

A Empresa de Pesquisa Energética (EPE), controlada pelo Ministério de Minas e Energia do país, registrou 1.841 projetos, totalizando 66.862 MW de potência.

No total, sete projetos solares estiveram entre os vencedores (de um total de 51). Destes, cinco (de um total de 33) foram concedidos no Leilão A-3/2021, e dois (de um total de 18) no Leilão A-4/2021.

No caso do Leilão A-3/2021, os projetos estarão localizados em Pernambuco e na Paraíba, o investimento é de R $ 618,8 milhões ($ 118 milhões) e eles têm uma capacidade combinada de 169,3 MW.

No Leilão A-4/2021, os dois projetos serão construídos na Paraíba com investimento estimado de R $ 289,3 milhões ($ 55 milhões) e somam 100 MW.

Na opinião de André Patrus, diretor-executivo da secretaria executiva de leilões da Aneel, os dois leilões foram um sucesso. “Contratamos [ed] todas as fontes ofertadas, contribuindo para a diversificação da matriz elétrica nacional, com descontos significativos e economia da ordem de R $ 2,5 bilhões para os consumidores, considerando a redução do preço da energia negociada em relação ao final preços ”, disse Patrus.

Os contratos firmados, que somam R $ 4 bilhões em investimentos futuros na construção das usinas, terão duração de 20 e 30 anos e começarão a fornecer energia em janeiro de 2024 e janeiro de 2025.

No total, 33 empresas venceram o leilão A-3/2021 e foram adjudicados três projetos hidrelétricos com capacidade de 35,25 MW. Em energia eólica, foram 23 projetos, com capacidade de 251,7 MW, e dois projetos de biomassa, com capacidade de 91,14 MW.

Em relação à A-4/2021, foram adjudicados três projetos hidrelétricos com capacidade de 77.018 MW; dez projetos eólicos totalizando 167,8 MW e três projetos de biomassa com capacidade de 92,5 MW.

Voltar ao Topo