Notícias

Bolsonaro diz que prisão de ex-presidente boliviano não é razoável

O presidente brasileiro Jair Bolsonaro disse na terça-feira que a prisão da ex-presidente interina da Bolívia, Jeanine Áñez, no fim de semana parecia irracional, acrescentando que vê a situação na Bolívia como motivo de preocupação.

Falando em uma reunião do bloco de desenvolvimento regional do Prosul que inclui países como Argentina e Paraguai, Bolsonaro expressou ceticismo em relação às acusações contra ela e membros do gabinete.

“O Brasil apoiou a formação do governo da presidente Jeanine Áñez, que tomou posse provisoriamente após a renúncia do então presidente Evo Morales”, disse o Ministério das Relações Exteriores do Brasil em um comunicado separado após as declarações de Bolsonaro.

Áñez foi preso no sábado e deve ficar preso por quatro meses. A promotora alega que ela usou aliados da força de segurança para forçar o presidente de longa data, Evo Morales, a renunciar após eleições contestadas e eventualmente se instalar como presidente interino.

Ela esteve no poder por menos de um ano e foi sucedida por Luis Arce, que pertence ao partido de Morales.

Voltar ao Topo