Economia

Bolsonaro, critica Biden por ‘ameaças covardes’ sobre a Amazônia

O presidente brasileiro Jair Bolsonaro reagiu com raiva na quarta-feira (30), ao apelo do candidato presidencial democrata dos EUA Joe Biden por um esforço mundial para oferecer ao Brasil US $ 20 bilhões para acabar com o desmatamento na Amazônia ou enfrentar “consequências econômicas” não especificadas.

Bolsonaro escreveu no Facebook que interpretou o comentário de Biden em um debate presidencial dos EUA na noite de terça-feira (29), como uma ameaça de sanções econômicas se o Brasil não aceitar a oferta.

Bolsonaro escreveu em português e inglês que não aceita “subornos” ou “ameaças de covarde”.

O presidente disse que o Brasil está agindo contra o desmatamento e reafirmou que vê o interesse estrangeiro na Amazônia como motivado financeiramente e uma tentativa de minar a soberania brasileira.

“A ganância de alguns países em relação à Amazônia é um fato conhecido”, disse Bolsonaro.

“No entanto, a demonstração explícita desta ganância por parte de quem concorre à presidência do seu país é um claro sinal de desprezo pela convivência cordial e frutuosa entre duas nações soberanas.”

Na eleição de novembro nos EUA, Biden está desafiando o presidente republicano Donald Trump, Bolsonaro admira abertamente Trump e tem buscado aliar o Brasil ao governo Trump, com os dois líderes buscando aprofundar os laços comerciais.

No acalorado debate de terça-feira (29), Biden disse que o Brasil forneceu um exemplo de como Trump “não tem relação com a política externa”.

“As florestas tropicais do Brasil estão sendo derrubadas”, disse Biden.

“Eu estaria reunindo e garantindo que os países do mundo ganhassem US $ 20 bilhões e diriam:‘ Aqui estão $ 20 bilhões, pare de destruir a floresta, e se você não fizer isso, você terá consequências econômicas significativas. ”

Dados oficiais mostram que uma área com aproximadamente o tamanho do Líbano foi desmatada na Amazônia brasileira em 2019, uma alta em 11 anos, com dados preliminares do governo para 2020 mostrando o desmatamento de 34,5%.

O governo de direita de Bolsonaro afirma que o Brasil é um modelo de conservação devido ao tamanho da área florestal que ainda existe.

O Brasil disse repetidamente que o mundo deveria pagar se quiser que mais floresta seja preservada, o Ministro do Meio Ambiente do Brasil, Ricardo Salles, reagiu no Twitter à oferta de financiamento de Biden, escrevendo: “Só uma pergunta: os US $ 20 bilhões de Biden em ajuda, isso é anual?”.

Bolsonaro encerrou sua declaração em inglês chamando Joe Biden pelo primeiro nome errado.

“Que pena, Sr. John Biden! Que pena!”

Voltar ao Topo