Petróleo

Bolsonaro agora diz ser contra a privatização da Petrobras

petrobras

O presidente Jair Bolsonaro, frustrado por ter sido responsabilizado pelo aumento do preço da gasolina, agora está inclinado a privatizar a petrolífera Petrobras, disse ele na quinta-feira, acrescentando que vai discutir a ideia com assessores econômicos.

“Agora quero privatizar a Petrobras. … Vou verificar com a equipe econômica o que podemos fazer a respeito. Como não posso controlar a empresa, não posso direcionar os preços da gasolina, mas quando sobe a culpa é minha”, disse Bolsonaro em uma entrevista de rádio.

Na quarta-feira, o ministro da Economia, Paulo Guedes, sugeriu que o governo vendesse parte do controle da estatal para financiar programas de previdência.

A Petrobras se tornou um tópico político quente à medida que os custos de energia levaram a inflação ao consumidor do Brasil para dois dígitos, prejudicando a popularidade do Bolsonaro antes da eleição presidencial do próximo ano.

O populista de extrema direita se opôs anteriormente à privatização da Petrobras, chamando-a de “estratégica” para os interesses nacionais do Brasil. No entanto, mesmo com seu apoio, alguns participantes do mercado acreditam que um processo de privatização pode ser difícil, pois envolveria uma gama mais ampla de partes interessadas.

O Bolsonaro foi eleito em 2018 e na altura apoiou a agenda de privatizações de Guedes, mas até ao momento vendeu um número limitado de empresas estatais.

A ex-subsidiária de distribuição de combustíveis da Petrobras, BR Distribuidora (BRDT3.SA) , atualmente conhecida como Vibra, foi privatizada em 2019. A estatal Eletrobras (ELET6.SA) deverá passar por uma rodada de capitalização no início de 2022.

Depois de instar os executivos da Petrobras a manter os preços baixos nos últimos anos, Bolsonaro disse que respeita a política de preços independente da empresa, ao invés disso, pediu reformas fiscais estaduais para reduzir os preços.

Ilan Arbetman, analista da Ativa Investimentos, disse que um potencial processo de privatização precisa ser levado com muito cuidado, lembrando que um modelo de venda da Eletrobras foi discutido por muito tempo até ser acertado no início deste ano.

“Quando falamos em privatizar a Petrobras, precisamos ter cuidado, porque é um processo amplo que envolve muitas partes interessadas. No momento, o momento está pesando – ainda mais do que a inclinação do presidente”, disse Arbetman.

As ações preferenciais da Petróleo Brasileiro SA, como a empresa é formalmente conhecida, saltaram após os comentários de Bolsonaro, subindo quase 2% antes de reduzir os ganhos para cerca de 1% nas negociações da manhã. 

Voltar ao Topo