Mercado

Bolsas mundiais avançam e apagam parte das perdas da semana; confira os destaques

Os futuros de Nova York e as bolsas europeias operam em alta, enquanto as bolsas asiáticas fecharam em território positivo no início desta sexta-feira (13), com os mercados globais buscando recuperar algum terreno após uma semana muito volátil, com investidores avaliando as perspectivas para inflação e taxas de juros.

O presidente do Federal Reserve dos EUA, Jerome Powell, disse na quinta-feira que controlar a inflação não será fácil e alertou que não pode prometer um pouso suave para a economia. Nesta sexta-feira, o presidente do Fed de Minneapolis, Neel Kashkari, e a presidente do Fed de Cleveland, Loretta Mester, participam de eventos, que devem ser monitorados de perto pelos investidores.

Os mercados globais caíram na quinta-feira passada, com os investidores preocupados com a desaceleração do crescimento, aumento das taxas de juros e dados de inflação dos EUA em abril, provocando preocupações de que uma trajetória de alta agressiva da taxa de juros poderia estar à frente.

Os investidores também estão monitorando as consequências geopolíticas da guerra na Ucrânia. A Rússia ameaçou nesta quinta-feira uma retaliação contra a Finlândia depois que líderes finlandeses disseram que a nação do norte da Europa deve se inscrever para ingressar na Otan “sem demora”.

Os líderes europeus estão enfrentando uma corrida para garantir fornecedores alternativos de gás depois que Moscou anunciou sanções às subsidiárias europeias de sua empresa estatal majoritária Gazprom. A medida ocorreu depois que a operadora de rede estatal da Ucrânia suspendeu os fluxos russos para a Europa por meio de um importante ponto de entrada.

Na frente de dados econômicos, sexta-feira apresenta uma leitura sobre os preços de importação de abril e uma visão antecipada da confiança do consumidor em maio. Além disso, os discursos dos dirigentes do Fed, hoje com Neel Kashkari (12h), sobre preços de energia e inflação, e de Loretta Mester (13h), que outro dia assustou os mercados ao não descartar “para sempre” uma alta de 75 pontos base de juros.

Aqui, a semana termina com a divulgação dos resultados da Cemig (CMIG4), Cosan (CSAN3), M Dias Branco (MDIA3), Raízen (RAIZ4). Na manhã desta sexta-feira foi divulgado o balanço da Ser (SEER3), enquanto na noite anterior Americanas (AMER3), B3 (B3SA3), Cogna (COGN3), Yduqs (YDUQS3), entre outras empresas divulgaram seus números.

Confira mais destaques:

1. Bolsas Mundiais

Os índices futuros dos EUA apagam parte das perdas dos últimos dias e operam em alta nesta sexta-feira (13), com investidores avaliando as perspectivas para a inflação e o ciclo de aperto monetário.

A sessão de ontem foi altamente volátil em Wall Street, segundo investidores ponderaram sinais de que a inflação atingiu um pico com temores de que ela possa permanecer elevada por mais tempo do que o esperado, levando a um aperto monetário ainda mais agressivo por parte do banco central americano .

Todos os três principais índices de ações dos EUA flutuaram na quinta-feira e o S&P 500 chegou a uma curta distância de confirmar que havia entrado no mercado. em baixa após despencar de seu nível recorde alcançado em 3 de janeiro.

Veja o desempenho dos mercados futuros:

  • Futuros Dow Jones (EUA), +0,73%
  • Futuros S&P 500 (EUA), +1,02%
  • Futuros da Nasdaq (EUA), +1,61%

Ásia

Os mercados asiáticos fecharam em alta após uma semana de montanha-russa, com os investidores pesando sobre a inflação e as perspectivas econômicas globais.

As preocupações com o aumento dos preços e as perspectivas econômicas pesaram no sentimento dos investidores globais nos últimos dias, com ativos mais arriscados, como ações de tecnologia e criptomoedas, sendo atingidos.

Já nesta sessão, os mercados são incentivados principalmente depois que as autoridades de Pequim descartam um bloqueio na cidade, enquanto Xangai planeja encerrar a transmissão comunitária do vírus nas próximas semanas de maio.

  • Xangai SE (China), +0,96%
  • Nikkei (Japão), +2,64%
  • Índice Hang Seng (Hong Kong), +2,68%
  • Kospi (Coreia do Sul), +2,12%

Europa

Os mercados europeus se recuperam em linha com o movimento de alta nos futuros de Wall Street, à medida que procuram recuperar algum terreno após uma semana de baixas.

No radar dos indicadores, a produção industrial da zona do euro caiu 1,8% em março em relação a fevereiro, segundo dados dessazonalizados divulgados pela agência oficial de estatísticas da União Europeia, o Eurostat. O resultado ficou abaixo das expectativas de analistas consultados pelo The Wall Street Journal, que previam queda de 1% na produção.

Na comparação anual, a produção industrial do bloco recuou 0,8% em março. Nesse caso, a previsão do mercado era de queda de 0,6%. O Eurostat também revisou os números da produção industrial de fevereiro para um ganho mensal de 0,5% e um aumento homólogo de 1,7%.

  • FTSE 100 (Reino Unido), +1,36%
  • DAX (Alemanha), +1,11%
  • CAC 40 (França), +1,43%
  • FTSE MIB (Itália), +1,07%

commodities

O petróleo bruto subiu na sexta-feira, mas rumou para sua primeira perda semanal em três semanas, com as preocupações com a inflação e os bloqueios da Covid-19 na China compensando as preocupações com a diminuição do fornecimento de combustível da Rússia.

  • Petróleo WTI, +0,58%, a US$ 106,75 o barril
  • Petróleo Brent, com alta de 0,78%, a US$ 108,29 o barril
  • Minério de ferro negociado na Bolsa de Dalian subiu 0,98% para 823,00 yuans, equivalente a US$ 121,27

Bitcoin

  • Bitcoin, +9,34% para US$ 30.403,07 (de 24 horas atrás)

2. Cronograma

A semana termina com os dados da produção industrial da zona do euro divulgados pela manhã e com a PNAD Contínua no Brasil trimestral (9h). Nos EUA, tem dados de confiança do consumidor (11h).

Brasil

09h00: Pesquisa PNAD trimestral contínua

EUA

9h30: Alteração no preço de mercadorias importadas e exportadas

11h: Confiança do consumidor

12:00: Neel Kashkari, presidente do Fed de Minneapolis, participa de evento sobre preços de energia e impacto na inflação

13h: Loretta Mester, presidente do Cleveland Fed, participa de painel no Fórum Internacional de Pesquisa em Política Monetária

15h: contagem de sondas Baker Hughes

3. Petrobras em foco

O novo ministro de Minas e Energia, Adolfo Sachsida, solicitou formalmente nesta quinta-feira (12) ao ministro da Economia, Paulo Guedes, a realização de estudos para a privatização da Petrobras (PETR3;PETR4) e da PPSA.

Na última quarta-feira (11), a Sachsida havia adiantado seu interesse em privatizar a Petrobras e a PPSA.

Sem interferência na Petrobras

O presidente Jair Bolsonaro disse na última quinta-feira que está considerando tomar medidas legais contra a Petrobras por causa do aumento dos preços dos combustíveis. Em transmissão ao vivo pelo Facebook, ele disse estar “buscando formas legais para que a Petrobras cumpra seu papel social definido pela Constituição”. E afirmou que “não haverá interferência na Petrobras a não ser pelos canais legais”.

4. Radar Político

Ainda durante sua live nas redes sociais, Bolsonaro disse que as Forças Armadas não vão interferir nas eleições. A declaração foi uma resposta ao presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Edson Fachin, que anteriormente criticou tentativas de desacreditar o sistema eleitoral brasileiro.

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Edson Fachin, disse na véspera que quem lida com as eleições no país são “forças desarmadas” e que a Justiça Eleitoral não vai se curvar a “ninguém”.

5. Radar Corporativo

A semana termina com a divulgação dos resultados da Auren (AURE3), Biomm (BIOM3), Celesc (CLSC4), Cemig (CMIG4), Cosan (CSAN3), Cyrela (CYRE3), Eucatex (EUCA3), Fertilizantes Heringer (FHER3), Kora (KRSA3), Lupatech (LUPA3), M Dias Branco (MDIA3), Raízen (RAIZ4), Renova (RNEW3), Saraiva (SLED3), SER Educacional (SEER3) e Wilson Sons (PORT3).

Americano (AMER3)

Americanas (AMER3) teve prejuízo de R$ 137 milhões no 1º trimestre, queda de 38%.

O lucro ajustado antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) aumentou 57,9% para R$ 660 milhões. A margem Ebitda ajustado aumentou 1,9 ponto percentual para 9,8%.

B3 (B3SA3)

O lucro líquido da B3 (B3SA3) caiu para R$ 1,1 bilhão no 1T22. Um ano antes, a B3 havia lucrado R$ 1,25 bilhão.

O Ebitda da B3, por sua vez, caiu 11,5% para R$ 1,7 bilhão, com a margem caindo de 83,1% para 75,4%.

MRV (MRVE3)

A MRV (MRVE3) registrou lucro líquido atribuível aos controladores de R$ 71 milhões no primeiro trimestre de 2022 (1T22), valor 47,8% inferior ao reportado no mesmo trimestre de 2021.

O lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) caiu 5,8% no 1T22, totalizando R$ 199 milhões.

Inter (BIDI4;BIDI11)

Os acionistas do Banco Inter (BIDI4;BIDI11) aprovaram nesta quinta-feira (12) a proposta de reorganização societária e migração das ações da empresa para a bolsa americana Nasdaq.

Voltar ao Topo