Empregos

BNDES aprova R$ 353 milhões para projetos eólicos no Ceará

A diretoria do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) aprovou financiamento de R$ 353,5 milhões para a construção de quatro centrais eólicas e respectivos sistemas de transmissão no município de Trairi, no Ceará.

As usinas, que constituem o Complexo Eólico Santa Mônica, terão capacidade instalada total de 97,2 MegaWatts (MW) e foram vencedoras do 22º Leilão de Energia Proveniente de Novos Empreendimentos de Geração, realizado em agosto de 2015.

As quatro centrais eólicas — Cacimbas, Estrela, Santa Mônica e Ouro Verde — entrarão em operação no segundo semestre de 2016. Os investimentos incluem a compra de 36 aerogeradores – estruturas com hélices, similares a cata-ventos gigantes – além de máquinas e equipamentos nacionais, também destinados às quatro linhas de transmissão.

Investimento em sustentabilidade

O Banco já aprovou para o Nordeste, até o momento, R$ 20,8 bilhões em financiamento para projetos eólicos, equivalentes a 7.406 MW de capacidade instalada na região. O objetivo do BNDES é contribuir para a diversificação da matriz enérgica brasileira, com fontes alternativas de recursos renováveis e ambientalmente mais limpas.

O uso dos combustíveis fósseis para geração de energia, no mundo, é responsável pela emissão de aproximadamente 70% dos gases de efeito estufa (principalmente CO2).

As usinas eólicas não produzem qualquer tipo de emissão de gases uma vez que utilizam uma fonte limpa e inesgotável, o vento. O apoio do Banco, em linha com a política de desenvolvimento local do BNDES, também inclui investimentos sociais que vão além daqueles exigidos para o licenciamento ambiental do projeto e equivalem a 0,5% do valor total do investimento do Grupo Engie, ex-GDF Suez, nestes quatro projetos eólicos.

Voltar ao Topo