Notícias

Biden permite que a Chevron fique na Venezuela até dezembro

Chevron

A Chevron Corp, a última grande empresa de petróleo dos EUA ainda operando na Venezuela, recebeu uma nova licença do governo dos EUA permitindo-a permanecer na Venezuela até 1º de dezembro, disse o Departamento do Tesouro na terça-feira.

No início de 2019, os Estados Unidos impuseram sanções proibindo as importações de petróleo venezuelano e as transações feitas em dólares com a estatal venezuelana PDVSA, uma medida destinada a privar o país de dólares do petróleo e expulsar o presidente socialista Nicolas Maduro.

A Chevron deu as boas-vindas à renovação, a primeira sob o presidente dos EUA Joe Biden e a oitava desde 2019. Ela continua “cumprindo as leis e regulamentações aplicáveis”, que regem as atividades na Venezuela, disse o porta-voz da Chevron, Ray Fohr.

A petroleira tem sido “uma presença construtiva no país, apoiando o investimento social e programas humanitários”, acrescentou.

Licença da Chevron renovada

A Chevron teve uma licença especial de operação dos EUA isentando-a de sanções no setor de petróleo vital da Venezuela, embora a administração do ex-presidente Donald Trump no ano passado modificou a licença para restringir a empresa de atividades essenciais como perfuração e comercialização . A última renúncia deveria expirar em 3 de junho.

A renovação da licença na terça-feira, que também se aplica às empresas de serviços de petróleo Halliburton, Schlumberger Limited, Baker Hughes e Weatherford International, continua essas restrições.

As empresas também não estão autorizadas a consertar ou melhorar poços, contratar pessoal ou serviços adicionais, pagar dividendos à PDVSA estatal venezuelana ou negociar novos empréstimos.

A licença permite que as empresas realizem apenas transações com a PDVSA “necessárias para a manutenção limitada das operações essenciais na Venezuela ou o encerramento das operações” até 1º de dezembro. As empresas correriam o risco de sanções ou medidas punitivas do governo dos Estados Unidos se não cumprissem .

Voltar ao Topo