Benefícios

Auxílio Emergencial: Metade dos microeemprendores do País teve benefício concedido

O Ministério da Cidadania destacou que o auxílio emergencial do governo federal concedeu metade do MEI (microempreendedores individuais) do país.

São mais de 5 milhões de trabalhadores humanitários nessa categoria e, segundo o Sebrae (Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Brasileiras), o Brasil tem 10,7 milhões de inscritos no MEI.

“Isso prova que a decisão dos empresários que desistiram da informalidade está correta, Atualmente, esse benefício é muito importante para ajudar os empresários a sobreviverem com menos dificuldade à pandemia, mas também traz liquidez para o país, amortecimento ajuda Silas Santiago, gerente de políticas públicas do Micro Sebrae, afirmou: “Os pequenos negócios e as pequenas empresas vão superar a crise provocada pelo início do deslocamento da economia para o dinheiro. ”

De acordo com o ministério, os registros oficiais aumentaram nos últimos cinco meses, entre 31 de março e 15 de agosto, o Simples Nacional registrou 784,3 mil registros, este número aumentou 0,8% em relação ao mesmo período do ano passado, do total de inscrições, 684 mil pertenciam à categoria MEI, um aumento de quase 43 mil em relação ao mesmo período de 2019.

“Este é mais um ponto de entrada, mostrando que estamos percebendo a determinação do presidente Jair Bolsonaro de não deixar ninguém para trás, esses recursos podem não só ajudar no desenvolvimento econômico e estimular a formalização, mas também ajudar as microempresas enfrentar a crise,” Disse o Ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni.

Ainda de acordo com a pasta, o atendimento emergencial atendeu 67,2 milhões de beneficiários, segundo a Caixa, até hoje, foram investidos R$ 194,6 bilhões no projeto social.

Santiago disse que os microempresários individuais que não recebiam o subsídio tinham “rendimentos familiares que excediam o limite da lei, certas relações de trabalho ou subsídios da segurança social”.

Voltar ao Topo