Benefícios

Auxílio Emergencial: confira o calendário da 5ª parcela do Bolsa Família

Depois de iniciar os pagamentos para os integrantes do Bolsa Família, a Caixa começará os pagamentos para os demais grupos.

Após iniciar os pagamentos para os beneficiários do Bolsa Família, a Caixa Econômica Federal (CEF) começa na próxima semana a creditar a quinta parcela do Auxílio Emergencial para os brasileiros que se inscreveram no programa através do site, aplicativo ou pelo Cadastro Único.

O cronograma para estes grupos será iniciado no dia 28 de agosto e terá como base a data de nascimento dos beneficiários. Recebem o montante de R$ 600, os beneficiários que tiveram seus respectivos cadastrados aprovados em abril.

Como de praxe, o valor será creditado na poupança digital, em que por intermédio do Caixa Tem, o beneficiário pode realizar compras e efetuar pagamento de contas pelo aplicativo. O calendário de saques e transferências é diferenciado, e para estes grupos será liberado a partir do dia 19 de setembro.

Confira o cronograma abaixo:

Prorrogação

Presente em um evento no nordeste do país, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) informou ontem que o Auxílio Emergencial será novamente prorrogado. O prazo de extensão do benefício será até dezembro. O chefe do Executivo, no entanto, disse que o valor ainda não foi definido.

No início da semana, Bolsonaro falou em coletiva de imprensa, que seria necessário chegar a um “meio-termo” com base nos valores das novas parcelas do benefício, enquanto o ministro da Economia Paulo Guedes projeta um valor de R$ 200, a ala política do governo federal quer um montante maior para cada parcela.

Se autorizada pelo governo, a extensão Auxílio Emergencial ainda depende de aprovação no Congresso Nacional, fato que não deve ser problema.

Entenda a relação do Bolsa Família com o Auxílio Emergencial

Estamos em um momento crítico devido a pandemia do Coronavírus e, com isso, precisamos mais do que nunca do apoio governamental.Ninguém esperava que ficássemos praticamente um ano inteiro em quarentena mantendo distanciamento social, mas agora que estamos mais de 6 meses nessa situação ficamos com muitas dúvidas.

Beneficiários do bolsa família e trabalhadores informais passaram a receber o Auxílio Emergencial. É muita informação e ninguém para dizer de fato o que está acontecendo.
Para entender melhor a relação dos dois programas sociais, entenda abaixo como funciona cada um deles e sua efetiva relação.

O QUE É O BOLSA FAMÍLIA?

O Bolsa Família é um programa social oferecido pelo governo federal desde 2004 para as famílias de classe baixa que passam por pobreza ou extrema pobreza.Atualmente, mais de 13 milhões de cidadãos brasileiros são beneficiados pelo Programa Bolsa Família, sendo que esse número aumentou durante a pandemia.

A intenção é que com o programa os cidadãos tenham acesso aos serviços de educação, saúde e lazer como forma de inclusão não sociedade.A contribuição do bolsa família é feita por meio de um valor mensal disponibilizado para as famílias cadastradas.

O valor decidido para auxílio leva em conta os integrantes da família e o cálculo da renda mensal familiar.
Para distribuição do benefício, o Programa Bolsa Família é dividido em 5 categorias para concessão do auxílio. Veja abaixo as categorias existentes:

Benefício Básico: Para famílias em estado de extrema pobreza, com renda mensal por integrante de R$89,00. Será concedido benefício de R$89,00.
Benefício Variável: Para famílias em estado de pobreza ou extrema pobreza que tenham como integrantes gestantes, mães amamentando, crianças ou adolescentes entre 0 e 15 anos.

Será concedido benefício de R$41,00 para cada subcategoria desta, conforme abaixo:

Benefício Variável de 0 a 15 anos: Para famílias com crianças e adolescentes entre 0 e 15 anos. Benefício de R$41,00.
Benefício Variável à Gestante: Para famílias com gestantes. Benefício de R$41,00 até o último mês de gestação.
Benefício Variável Nutriz: Para famílias com crianças entre 0 e 6 meses. Benefício de R$41,00 até os 6 meses de idade da criança.
Benefício Variável Jovem: Para famílias em estado de pobreza ou extrema pobreza com adolescentes de 16 e 17 anos. Benefício de R$48,00, podendo acumular somente dois benefícios de no máximo R$96,00.
Benefício para Superação da Extrema Pobreza: Para famílias em estado de extrema pobreza. Para recebimento do benefício será feito um cálculo da renda mensal da família.
Abono Natalino: Para todas as famílias cadastradas no programa. Benefício de valor adicional no mês de dezembro, sendo o mesmo valor do recebimento mensal.
Para os benefícios variáveis é possível fazer parte de até 5 benefícios e receber até R$205,00 por mês, sendo que este é o valor máximo de concessão de benefícios pelo bolsa família.

O QUE É O AUXÍLIO EMERGENCIAL?

Diferente do bolsa família, o Auxílio Emergencial foi criado em 2020 devido a pandemia desencadeada pelo Covid19.
Como diz o nome, é somente um auxílio do governo e não durará para sempre, além disso, seu foco está nos trabalhadores que não possuem registro em carteira e nos desempregados.O Auxílio Emergencial é a distribuição do valor mínimo de R$600,00 para as famílias que atendam aos requisitos de participação.

É possível também que até 2 pessoas da mesma família solicitem o auxílio, gerando um aumento na renda mensal.
No caso de famílias em que a mulher é a responsável pelo sustento familiar, o auxílio mínimo é de R$1.200,00.
No início da pandemia a ideia era que o Auxílio Emergencial vigorasse por 3 meses, mas ainda estamos em fase de distanciamento social com retorno gradual de atividades.

MINHA FAMÍLIA PODE RECEBER O AUXÍLIO EMERGENCIAL?

Para receber o auxílio disponibilizado pelo governo será necessário seguir ao menos um dos critérios abaixo para aprovação. Veja abaixo:

Estar desempregado
Ser trabalhador autônomo
Ser Microempreendedor individual – MEI
Ser trabalhador informal
Ser contribuinte individual na Previdência Social
Pertencer a família de renda mensal inferior a R$522,50 por pessoa ou renda mensal total de R$3.135,00.

Se sua família faz parte de um dos critérios apresentados e quer solicitar o auxílio, basta instalar o aplicativo do auxílio emergencial, preencher os dados solicitados e aguardar a resposta.

CONCLUSÃO

Todos os beneficiários do bolsa família tiveram seu benefício suspenso, sendo substituído pelo Auxílio Emergencial.
No entanto, a substituição foi para auxílio dessas famílias em situação de pobreza ou extrema pobreza durante a pandemia.Os critérios para ingressar no bolsa família e auxílio emergencial não devem ser negligenciados, por enquanto permanecem tendo os mesmos critérios de aprovação.

Com a extensão da pandemia e distanciamento social o governo já divulgou o novo programa a ser instaurado no lugar do Bolsa Família e Auxílio Emergencial, o Renda Brasil.No entanto, até a implementação efetiva do novo programa social as regras atuais estão valendo e deverão ser seguidas.

Voltar ao Topo