Benefícios

Auxílio Emergencial: Confira as regras para os pagamentos de R$300

As regras para a concessão dos R$ 300 restantes para o auxílio emergencial foram divulgadas na quarta-feira (16), são publicados em versão adicional do Diário Oficial da União (DOU).

Esse benefício dá subsídio de R$ 300 ou R$ 600 para mães solteiras, além disso, será realizado em quatro fases e só será armazenado para quem receber atendimento de emergência.

De acordo com o decreto, deve ser inscrito no Cadastro de Pessoas Físicas do Trabalhador (CPF), além disso, sua situação deve ser regulamentada pela Secretaria da Receita Federal do Brasil do Ministério da Economia.

A exceção são os trabalhadores familiares que se beneficiam do programa Bolsa Família, eles podem recebê-lo por meio do CPF ou do número de identificação social (NIS).

O recebimento da assistência de emergência restante é limitado a duas cotas por família, as mães solteiras receberão o restante dos suprimentos de emergência em duas fases, o parcelamento será pago automaticamente, portanto, nenhum novo aplicativo é necessário.

O decreto estipula que caso não seja verificada a elegibilidade para o restante do atendimento emergencial por falta de informação do poder público, o trabalhador tem direito ao parcelamento.

O cronograma de pagamentos dos beneficiários não cadastrados na Bolsa Família será definido pelo Ministério da Cidadania e divulgado pela Caixa. O decreto estipula que o restante do auxílio não irá para os trabalhadores:

I-Obteve um vínculo empregatício formal positivo após receber atendimento emergencial;

II- Receber pagamentos previdenciários ou assistenciais ou de seguro-desemprego ou programas de transferência de renda federal obtidos após o recebimento de assistência emergencial, excetuados os benefícios do programa de bolsa família;

III-Aumentar a renda familiar mensal per capita (per capita) para mais de meio salário mínimo, e aumentar a renda familiar mensal total acima de três salários mínimos;

IV- residir no exterior;

V- O lucro tributável (imposto de renda) recebido em 2019 é superior a R $ 28.559,70;

VI- possuir ou possuir bens ou direitos incluídos em 31 de dezembro de 2019, com valor total superior a R $ 300.000;

VII-Receitas tributárias isentas, isentas de tributação ou exclusivas de fontes recebidas em 2019, cujo total seja superior a 40.000 reais;

VIII-Em 2019, o cônjuge incluído como contribuinte individual do imposto de renda, como cônjuge, tiver filhos com o contribuinte, ou tiver vivido com ele há mais de cinco anos, ou tiver coabitado com filhos ou enteados, tiver ingressado em instituição de ensino superior ou ensino técnico de ensino médio 21 anos ou menos de 24 anos do curso;

IX-Ficar trancado em prisão fechada;

X-menores de 18 anos (exceto para mães menores);

XI  Se há uma certidão de óbito no banco de dados do governo federal.

O decreto também prevê que os estagiários, residentes médicos e multiprofissionais, bolsistas do Fundo de Coordenação da Formação de Talentos do Ensino Superior (Cabo) e da Fundação de Amparo ao Estudante não sejam impedidos de receber o restante do atendimento emergencial.

Voltar ao Topo