Empregos

Atualização da Ero Copper na propriedade Vale do Curaga na Bahia

A Ero Copper Corp atualizou trimestralmente os programas de perfuração em andamento da propriedade Vale do Curaga, de 99,6%, localizada no estado da Bahia, no Brasil. Esta atualização abrange os resultados das brocas recebidas do final de agosto a meados de novembro de 2019. A perfuração durante o período foi focada principalmente em várias áreas-alvo prioritárias na Mina Pilar, Mina Vermelhos e Distrito Mineral Vermelhos após o lançamento do Instrumento Nacional atualizado da Companhia 43 -101, Estimativa de recursos e reservas minerais em conformidade com os Padrões de Divulgação para Projetos Minerais. 

O diretor geológico Mike Richard disse: “Este é um momento emocionante para nossos programas de exploração. Na extensão do aprofundamento da mina de Pilar, não temos Não observamos furos dessa espessura e grau desde que adquirimos o MCSA em 2016 e os últimos resultados nos dão confiança no futuro a longo prazo da mina de Pilar, não apenas com relação à segurança da produção futura, como pudemos demonstrar em resultados de perfuração até o momento, mas também com relação à manutenção de um perfil de classificação elevado nos próximos anos – um objetivo crítico da empresa. A perfuração de enchimento desta zona recém-identificada será uma área de foco principal do nosso programa de perfuração de 2020 na mina de Pilar. ”

DESTAQUES

Conjunto mais significativo de orifícios perfurados na mina de Pilar até o momento, indicativos de uma nova câmara mineralizada de alto grau, ou Superpod, abaixo da extensão conhecida de mineralização na mina. Os resultados são destacados pelo furo FC5616 que cruzou 51,8 metros com classificação 3,49% de cobre, incluindo 33,4 metros com classificação 4,96% de cobre e o buraco FC5615 que cruzou 62,5 metros com classificação 1,65% de cobre incluindo 26,1 metros com classificação de 2,37% de cobre.

Duas novas descobertas regionais de cobre dentro da tendência do Sistema Vermelhos de dez quilômetros na N1 Sul e Vermelhos Norte. Os resultados na N1 Sul são destacados pelo orifício CRN1-08, que cruza 20,0 metros com classificação de 0,92% de cobre, incluindo 7,0 metros com classificação de 1,77% de cobre de 52,0 metros no fundo do poço. Os resultados no Vermelhos Norte são destacados pelo orifício CRN10-02, que cruza 14,0 metros de 1,01% de cobre, incluindo 5,0 metros de 1,98% de cobre de 143,0 metros de fundo de poço. As pesquisas de EM do poço estão em andamento para definir melhor a segmentação de alto nível nessas áreas mineralizadas recém-descobertas.

Identificação de uma zona bruta de sulfeto maciço dentro do depósito de Siriema contendo cobre, níquel e cobalto, além de platina, paládio, ródio e ouro. Os resultados são destacados pelo furo FSI-40, que cruza 9,1 metros de classificação 2,66% de cobre, 1,74% de níquel, 0,07% de cobalto e 1,46 gramas por tonelada 3PGE + Au, incluindo 5,6 metros de classificação 3,37% de cobre, 2,59% de níquel, 0,10% de cobalto e 2,08 gramas por tonelada 3PGE + Au. A zona permanece aberta em profundidade e foi delineada com aproximadamente 150 metros de comprimento de ataque, 105 metros de profundidade e mais de 10 metros de espessura média.

Dentro da Mina de Vermelhos, mineralizações adicionais foram encontradas logo abaixo dos principais corpos de Vermelhos de Toboggan e Sombrero, destacados pelo furo FVS-165 que cruzava 6,4 metros com classificação de 5,03% de cobre, incluindo 2,0 metros de classificação com 10,50% de cobre e FVS-66 que cruzava 9,0 metros classificação 1,82% de cobre. Esses orifícios continuam a confirmar o alto potencial abaixo dos corpos principais. A perfuração adicional da Zona Leste dos Vermelhos em profundidade, também na Mina de Vermelhos, continua interceptando a mineralização de alto grau, destacada pelo furo FVS-413, que cruza 8,4 metros com 4,02% de cobre e 3,08 com 8,83% de cobre.

Voltar ao Topo