Notícias

Quadrilha volta a invadir outra cidade para roubo de banco

 Mais de 20 assaltantes armados invadiram um banco em uma pequena cidade brasileira nesta quarta-feira (02), fazendo reféns, trocando tiros com policiais nas ruas e matando uma pessoa antes de fugir em um comboio de veículos.

O assalto ocorreu nas primeiras horas da madrugada na cidade ribeirinha de Cametá no Pará, foi o segundo assalto em dois dias no país, o primeiro aconteceu na noite da segunda-feira (30) em Criciúma, marcando um alto avanço na escala de agressão e assaltos a bancos na história do Brasil.

O ataque de hoje foi por um grupo de homens, armados com armas de alto calibre, como os primeiros. Eles invadiram uma agência do Banco do Brasil SA e levaram milhões de reais, informou o Ministério da Segurança do Estado do Pará.

Imagens nas redes sociais mostraram um tiroteio nas ruas da cidade. Os ladrões mataram um refém durante o roubo, acrescentou o ministério, enquanto outro residente local foi baleado na perna e está em condições estáveis ​​no hospital.

A policia federal disse que encontrou um veículo de fuga abandonado fora da cidade com explosivos dentro. A polícia acredita que os assaltantes possam ser os mesmo que invadiram bancos na cidade sulista ou que tenham algum envolvimento.

Não ficou claro quantos reféns foram feitos ou se foram todos libertados. As autoridades também não informaram ao certo quanto dinheiro foi roubado do banco.

O Brasil tem uma longa história de assaltos a bancos e grandes credores têm lutado contra uma onda de roubos violentos nos últimos anos.

Ainda assim, a associação de lobby bancário do país, Febraban, disse que os ataques a bancos caíram 48,35%, no últimos anos. Mas com tais acontecimentos á média tende a subir muito nesse verão de 2020.

O ataque a Cametá ocorreu apenas um dia depois do assalto, curiosamente, semelhante a uma agência do Banco do Brasil na cidade de Criciúma, no sul do país.

Os ladrões de banco explodiram portas e caixas, dispararam armas de alto calibre contra a polícia, em um assalto que feriu duas pessoas e deixou resmas de dinheiro nas ruas novamente para serem embolsadas pelos moradores.

O banco estatal Banco do Brasil não comentou imediatamente os ataques.

Voltar ao Topo