Política

Apoio de Macron a Lula “uma provocação” diz Bolsonaro

Bolsonaro

O presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, disse na quinta-feira que o ex-presidente Luiz Inácio Lulas da Silva recebido pelo chefe de estado da França Emmanuel Macron na semana passada foi uma “provocação”.

Macron deu as boas-vindas a Lula no Eliseu em um sinal incomum de apoio ao principal rival de Bolsonaro nas eleições de outubro de 2022. Lula está à frente em todas as pesquisas, embora nem Bolsonaro nem Lula tenham lançado sua candidatura.

O encontro com Macron mostrou Lula buscando capitalizar o isolamento diplomático de Bolsonaro resultante de suas políticas ambientais que resultaram no desmatamento da Amazônia brasileira chegando ao máximo em 15 anos.

“Parece uma provocação”, disse Bolsonaro sobre o encontro em uma entrevista de rádio. “(Macron) está mais interessado em ter uma pessoa passiva e corrupta como o Lula, um aliado seu, do que alguém como eu (liderar o Brasil) no futuro”, acrescentou.

Lula foi condenado em 2018 por aceitar subornos de empresas de engenharia em troca de contratos públicos e passou um ano e meio atrás das grades antes que o Supremo Tribunal Federal revogasse suas condenações neste ano, abrindo as portas para uma corrida presidencial.

O rompimento de Bolsonaro com Macron remonta a 2019, quando o presidente francês denunciou o crescente número de incêndios na Amazônia e Bolsonaro respondeu que esses comentários desrespeitavam a soberania brasileira. Bolsonaro também fez comentários impróprios sobre a esposa de Macron na época.

Esse conflito estaria entre as principais causas de um acordo comercial entre a União Européia e o Mercosul, firmado em 2019 após duas décadas de negociações, ainda não ter sido ratificado.

O polêmico Bolsonaro está entre os candidatos ao prestigioso prêmio Personalidade do Ano da revista Time. “Espero ganhar”, disse Bolsonaro quando foi informado sobre a possibilidade.

Bolsonaro foi dito quinta-feira estar bem à frente nessa corrida graças ao apoio de seus seguidores para ser declarado “a pessoa mais influente” do mundo.

O líder brasileiro saiu na frente com 76% dos votos, seguido pelo ex-presidente dos Estados Unidos, Donald Trump. Em terceiro lugar competiam os profissionais de saúde ligados à luta contra a COVID-19.

A revista Times (sic) faz uma pesquisa que se arrasta há décadas. A personalidade do ano. São 100 pessoas. Eu estava entre as 100 pessoas em 2019 e 2020 e agora em 2021 estamos liderando ”, disse Bolsonaro durante sua transmissão semanal nas redes sociais, enquanto convocava seus apoiadores a continuar votando nele.

A mídia brasileira noticiou que os seguidores do Bolsonaro concordaram que o Telegram apoiasse maciçamente o presidente.

”Isso está animado! Espero vencer se eu merecer. Agradeço a quem votou em mim ”, acrescentou.

Todos os anos, a revista destaca a vida e a obra de um homem, mulher, casal, grupo, ideia, lugar ou máquina que mais influenciou os acontecimentos mundiais nos últimos 12 meses ”para melhor ou para pior”. No entanto, a Time reserva-se o direito de fazer a escolha final.

Além de sua abordagem amazônica, Bolsonaro é conhecido por considerar a COVID-19 uma doença que pode ser tratada muito melhor com medicamentos não recomendados pela Organização Mundial de Saúde do que com vacinas.

Voltar ao Topo