Offshore

Aker Solutions fornecerá sistema de produção submarino à Petrobras

aker solutions petrobras

A empresa norueguesa de engenharia offshore Aker Solutions disse que ganhou um contrato “substancial” com a Petrobras para fornecer um sistema de produção submarino e serviços relacionados para o projeto Mero 4, offshore do Brasil. 

A Aker Solutions define um contrato substancial entre NOK 700 milhões (cerca de US $ 79,98 milhões) e NOK 1,2 bilhão (cerca de US $ 137,1 milhões)

Este é o quarto sistema de produção consecutivo para o desenvolvimento do campo de Mero, uma das maiores descobertas de petróleo na área do pré-sal do Brasil, disse a Aker Solutions.

O sistema de produção submarino consistirá de até 13 árvores submarinas verticais projetadas para o pré-sal do Brasil, incluindo unidades de distribuição submarinas, módulos de controle submarinos e estação de controle mestre para sistemas de controle e topside, e equipamentos associados relacionados.

“A planta submarina da Aker Solutions em São José dos Pinhais e sua base de serviços submarinos em Rio das Ostras realizarão a maior parte da obra. A obra começa imediatamente, com instalação prevista para ocorrer entre 2023 e 2025”, afirmou. disse a empresa.

 FPSO

Em agosto, o especialista holandês em leasing de FPSO SBM Offshore disse que assinou uma carta de intenções com a Petrobras para arrendar e operar um FPSO newbuild no campo de Mero na Bacia de Santos offshore no Brasil para o projeto Mero 4. A SBM não divulgou os detalhes financeiros dos contratos de arrendamento e operação de 22,5 anos.

O FPSO, que se chamará Alexandre de Gusmão, será projetado e construído usando o programa Fast4Ward da SBM, incorporando o novo casco Multi-Purpose Floater (MPF) da empresa combinado com vários módulos de topsides padronizados. O quinto casco MPF da SBM Offshore foi alocado para este projeto. A conclusão do FPSO está prevista para 2024.

A SBM disse que o FPSO seria projetado para produzir 180.000 barris de petróleo por dia e tratar 12 milhões de metros cúbicos padrão de gás por dia. Além disso, a unidade terá capacidade de injeção de água de 250 mil barris por dia e capacidade mínima de armazenamento de 1,4 milhão de barris de petróleo bruto. A unidade ficará ancorada em lâmina d’água de aproximadamente 1.900 metros, a aproximadamente 160 quilômetros de Arraial do Cabo, no estado do Rio de Janeiro.

A construção do casco do Mero 4 FPSO atingiu o primeiro marco de corte de aço no terceiro trimestre de 2021. A construção do FPSO está progredindo conforme o planejado, com o primeiro óleo esperado para 2025, disse a SBM Offshore no início deste mês.

O bloco de Libra, onde está localizado o campo de Mero, está sob Contrato de Partilha de Produção com Consórcio formado pela Petrobras com 40%, Shell Brasil com 20%, Total Energies com 20%, CNODC e CNOOC com 10% cada e a estatal. a empresa pré-Sal Petróleo SA como administradora do Contrato de Partilha de Produção.

Voltar ao Topo