Economia

Petrobras mantém política de preços atrelado ao dólar

A gigante estatal de petróleo e gás Petrobras reafirmou seu compromisso com sua atual política de preços de combustível, disse a empresa em um documento de valores mobiliários.

A Petrobras define os preços dos combustíveis em suas refinarias em linha com os preços internacionais do petróleo, com reajustes periódicos para limitar o efeito imediato da volatilidade do mercado sobre os consumidores. Mas a empresa enfrenta uma pressão crescente para manter os preços baixos do presidente Jair Bolsonaro, para quem os altos preços dos combustíveis podem significar o fim de suas chances de reeleição em outubro.

As repetidas criticas de Bolsonaro à Petrobras é as frequentes mudanças na liderança da empresa — ele demitiu três CEOs em pouco mais de um ano — alimentaram preocupações de que o governo tentará intervir na empresa listada e forçar uma mudança em sua política de preços.

Apesar do aumento dos preços do petróleo internacionalmente, a Petrobras não reajusta os preços do diesel há mais de um mês e os preços da gasolina há mais de três meses, em meio a relatos de que o governo Bolsonaro está pressionando o conselho de administração para evitar novos aumentos de preços.  A Petrobras está em processo de aprovação da nomeação de um novo CEO e diretoria , o que deve reforçar a influência do governo sobre a empresa.

Uma pesquisa do PoderData mostra que 67% dos brasileiros apoiam algum tipo de intervenção para baixar os preços dos combustíveis, que subiram 29% em 12 meses.

Voltar ao Topo