Marketing e Negócios

A fintech EBANX brasileira faz parceria com o Tinder para permitir pagamentos parcelados em assinaturas premium

A EBANX anunciou nesta sexta-feira (23), que está se associando ao Tinder para oferecer soluções de pagamento local aos usuários latino-americanos do popular aplicativo de namoro.

A fintech brasileira, focada em habilitar métodos de pagamento locais para comerciantes globais, e o Tinder vão primeiro lançar a parceria para pagamentos de assinaturas no Brasil, mas nas próximas semanas também vai expandir a oferta para o México, Colômbia, Argentina, Chile e Peru, conforme a EBANX informou.

“Estamos entusiasmados em anunciar esta parceria com a EBANX, que dará aos associados no Brasil e na América Latina a segurança e a facilidade de usar formas de pagamento conhecidas para adquirir as assinaturas desejadas”, Sabrina Zaremba, Diretora De Desenvolvimento De Negócios  Do Tinder na América Latina.

Por meio da integração inicial no Brasil, o Tinder oferecerá aos associados a opção de pagar as assinaturas por meio de cartões de crédito locais, débito em conta de depósito, bem como a opção de pagar em até seis parcelas, um conhecido antigo e forma de pagamento namorada para brasileiros.

“O investimento contínuo da Tinder na América Latina mostra a importância da região e que há muito espaço para crescimento”, afirmou EBANX CCO Henrik Nilsmo. “Estamos muito felizes com a parceria com o Tinder no Brasil e posteriormente expandindo isso para toda a América Latina, facilitando a conexão entre a empresa e seus clientes por meio de nossas soluções de pagamento localizadas.”

A EBANX, tem impulsionado seu roteiro de expansão na região, na semana passada, o unicórnio brasileiro anunciou sua entrada em novos mercados nas Américas Central e do Sul, bem como o futuro lançamento do EBANX GO, seu cartão pré-pago e conta digital em parceria com a Visa que já opera no Brasil, em outros países da América Latina.

Em setembro, a fintech de pagamentos globais também anunciou uma parceria com a Amazon para permitir que os consumidores colombianos paguem as compras dentro do gigante do comércio eletrônico em sua moeda local, usando métodos de pagamento locais.

Voltar ao Topo