Notícias

3 grupos disputam contrato de sistema submarino inovador da Petrobras

Aker Solutions, OneSubsea  e TechnipFMC  estão participando de uma licitação da Petrobras para a contratação do inovador sistema submarino de separação de CO2 da petrolífera federal brasileira, disseram duas fontes familiarizadas com o assunto à BNamericas. 

Batizado de Hisep, o equipamento será instalado na terceira etapa de desenvolvimento do campo de Mero ( Mero 3 ), no pré-sal da bacia de Santos  . Como o ativo do bloco Libra  é operado em consórcio com grupos privados, a licitação não é pública. 

O Hisep é efetivamente um manifold que interligará as linhas do layout submarino do Mero 3 e separará o CO2, reinjetando-o no poço. 

Ele enviará apenas óleo e gás para o FPSO, reduzindo drasticamente o percentual de CO2 na produção. 

Além de reduzir o espaço utilizado no topside, a Hisep permitirá à Petrobras extrair hidrocarbonetos sem o risco de contato do CO2, altamente corrosivo, com as linhas de produção e a planta de processamento da plataforma. 

A licitação envolve a fabricação e instalação dos equipamentos no fundo do mar por meio de um contrato que integrará SPS (sistemas de produção submarinos) e EPCI (engenharia, aquisição, construção e instalação). 

“É um contrato praticamente inédito, já que a Petrobras tradicionalmente separa as linhas e o hardware”, disse uma das fontes.

O prazo para apresentação de propostas comerciais é junho, mas pode ser adiado devido à complexidade e natureza incomum do concurso. 

O projeto Mero 3 está programado para entrar em operação em 2024. A Petrobras detém 40% de participação no empreendimento, em parceria com a Shell  (20%), TotalEnergies  (20%), CNOOC  (10%) e CNPC  (10%). 

Após dois anos de testes, com a tecnologia comprovada, o Hisep poderá ser utilizado em outras áreas, como Libra Central e Júpiter , onde a inovação tem potencial para viabilizar o projeto de desenvolvimento da produção. 

Uma vez comprovada a tecnologia Hisep, também será possível desenvolver unidades de produção offshore com plantas de processamento de gás menores e menos complexas, que possuem menores custos de construção e operação.

Voltar ao Topo