Concursos

10 principais erros de português cometidos na Redação do Enem

Texto sem coerência e com letra ilegível são considerados erros graves para os avaliadores da Redação do Enem. Soma-se a isso os erros gramaticais, responsáveis por diminuir a nota de milhares de estudantes em todo o país. De acordo com Eduardo Valladares, professor de Linguagens do Descomplica, o aluno precisa ter os conceitos gramaticais bem assimilados para a hora em que a banca perguntar e envolver outros tópicos aglutinados nas questões, e também para uma escrita correta da Redação.

Ele preparou para uma lista com os dez principais erros de português que os alunos cometem na hora de fazer a prova de Redação do exame.

1) Separar sujeito de predicado:

Exemplo: O governo brasileiro, resolveu investir em novos recursos para ampliar o acesso ao petróleo.

Explicação: Não se colocar uma vírgula separando o sujeito (o governo brasileiro) do predicado (todo restante da estrutura).

Correção: O governo brasileiro resolveu investir em novos recursos para ampliar o acesso ao petróleo.

2) Crase antes de palavra masculina

Exemplo: O MEC deu nova oportunidade à aluno que não tiver documentação em dia.

Explicação: O correto deve ser apenas a preposição “a”, antes de aluno. A crase é uma fusão entre um “a” preposição mais um “a” artigo; logo, a palavra à frente deve ser feminina. No caso, a frase ficaria:

Correção: O MEC deu nova oportunidade ao aluno que não tiver documentação em dia.

3) Falta de paralelismo na regência

Exemplo: Os alunos sempre preferem estudar mais as matérias de humanas do que estudar a parte de exatas.

Explicação: Quem prefere algo prefere em relação a alguma coisa. Logo, o correto deve ser:

Correção: Os alunos sempre preferem estudar mais as matérias de humanas a (sem crase) estudar a parte de exatas.

4) Ambiguidade no uso do pronome

Exemplo: Paulo entregou a Pedro sua encomenda.

Explicação: Não se sabe de quem é a encomenda. O mais correto é usar outra referência sem ser o pronome possessivo.

Correção: Paulo entregou a sua própria encomenda para Pedro ou Pedro recebeu a sua encomenda das mãos de Paulo.

5) Não separar com vírgulas termos explicativos

Exemplo: O governo resolveu dar mais atenção aos setores administrativos e comerciais e jurídicos e educacionais nos últimos anos.

Explicação: No caso, a palavra “e” deve ser colocada apenas na última enumeração.

Correção: O governo resolveu dar mais atenção aos setores administrativos, comerciais, jurídicos e educacionais nos últimos anos.

6) Usar a palavra “onde” sem ser no sentido de lugar

Exemplo: Vargas se suicida em 1954 onde o país mergulhava numa nova era de mudanças.

Explicação: A palavra deve ser usada com sentido específico de lugar, e não de tempo, como no exemplo.

Correção: Vargas se suicida em 1954 quando o país mergulhava numa nova era de mudanças.

7) Colocação pronominal

Exemplo: Os alunos, que colocam-se com mais facilidade na hora da prova, são, justamente, os estudiosos em Redação.

Explicação: Devemos lembrar que o pronome “se” é atraído pela palavra que.

Correção: Os alunos, que se colocam com mais facilidade na hora da prova, são, justamente, os estudiosos em Redação.

8) Voz passiva analítica

Exemplo: A sociedade foi surpreendida com os anúncios feitos por a nova ministra.

Explicação: Vale lembrar sempre quem é o agente da ação apresentada. Ele deve aparecer com a estrutura “pelo” ou “pela”.

Correção: A sociedade foi surpreendida com os anúncios feitos pela nova ministra.

9) Regência correta do verbo

Exemplo: As mudanças começaram a chegar na rotina dos candidatos.

Explicação: Lembrar que os verbos possuem complementos regidos com ou sem preposição.

No caso anterior, o certo é que o verbo chegar pede a preposição “a”.

Correção: As mudanças começaram a chegar à rotina dos candidatos.

10) Iniciar um período novo com uma conjunção errada

Exemplo: A violência na sociedade brasileira tem alcançado níveis alarmantes. Pois as autoridades ainda não conseguiram criar uma estrutura que sirva para resolver os problemas da base.

Explicação: Em geral, os alunos tendem a unir períodos dentro dos parágrafos colocando as conjunções “e”, “mas”, “pois” para começar uma nova estrutura. Esse uso deve se restringir a estruturas internas.

Correção: A violência na sociedade brasileira tem alcançado níveis alarmantes, pois as autoridades ainda não conseguiram criar uma estrutura que sirva para resolver os problemas da base.

Voltar ao Topo